Em ano eleitoral, Alckmin faz inaugurações na região

 
Pré-candidato a presidência da República, o governador Geraldo Alckmin tem aproveitado o ano eleitoral para visitar constantemente a região e entregar obras. Hoje, ele estará na cidade para a “abrir” o Hospital Regional Zilda Arns, às 10h, e depois segue para São Pedro, onde, às 12h, entrega a duplicação da rodovia Geraldo de Barros (SP-304) — entre o km 179 e o km 182 — que liga Águas de São Pedro à Anhumas, em Piracicaba. Ainda neste segundo ato, ele fará o descerramento de placas de duas unidades do Programa Creche Escola, implantadas em Santa Bárbara d’Oeste. A última vez que o político esteve em Piracicaba foi em outubro, na EsalqShow — Feira de Inovação para o Agronegócio.
 
Em início de pré-campanha política, em agosto do ano passado, Alckmin aprovou a liberação do trecho da SP-304, no entanto, o Hospital Regional abrirá suas portas no próximo dia 20, para atendimentos agendados, tendo seu funcionamento ampliado gradativamente. O atendimento completo deve acontecer somente em 2019. Esta semana, Alckmin inaugurou ainda o prédio do novo Fórum Cível da Comarca de Limeira, porém, o espaço somente será aberto ao público no segundo semestre deste ano.
 
Para a socióloga Conceição Fornasari, a entrega de obras — principalmente inacabadas — se caracteriza como “ato imoral”. “É usual que isso aconteça Brasil afora. Os políticos aproveitam dos cargos para inaugurar tudo às vésperas de eleição e tentar ludibriar o eleitor”, disse.
 
Além disso, em sua corrida “pré-eleitoral”, o governador anunciou as obras do Corredor Metropolitano Biléo Soares, em Hortolândia, e a construção do Viaduto Jean Nicolini, em Nova Odessa. Ele entregou trecho de 5 km de faixa exclusiva entre os municípios de Americana e Santa Bárbara d’Oeste e Nova Odessa. No início do mês, Alckmin assinou contratos para início das obras das barragens de Pedreira no rio Jaguari, em Pedreira e Campinas, e Duas Pontes, no rio Camanducaia, em Amparo, que atenderá os mais de 70 municípios das Bacias PCJ (dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí).
 
Segundo Conceição, a ligação de outros prefeitos com o projeto político-partidário do governador facilita este tipo de ações. “Os políticos da região têm grandes vínculos políticos com Alckmin e até o momento em que ele iniciar oficialmente a campanha mais eventos devam acontecer, não só aqui, mas em todo o Estado. Não é porque a lei permite que este tipo de ação deva acontecer, mas elas poderiam ser evitadas”, ressaltou.
 
 
HR — O Hospital Regional terá 138 leitos, dos quais 84 são de internação, 20 de UTI adulto, 27 de cuidados mínimos, 7 de Hospital-Dia, além de 10 salas cirúrgicas e o centro de diagnóstico por imagem. Inicialmente, entrarão em funcionamento 60 leitos — 30 cirúrgicos, 20 clínicos e 10 de UTI adulto — e quatro salas cirúrgicas, e os atendimentos ambulatoriais.