Em um ano, rede estadual de ensino recebe 37% a mais alunos estrangeiros

Cultura, idioma e conhecimento são compartilhados diariamente entre estudantes brasileiros e os 37 estrangeiros matriculados nas escolas da rede estadual na cidade de Piracicaba. Os dados do Cadastro do Aluno da Secretaria Estadual da Educação mostram que o número é 37% maior em comparação ao início do ano letivo do ano passado, quando 27 alunos de outras nacionalidades se matricularam na cidade. 
 
De acordo com a pasta estadual da Educação, em Piracicaba, estão matriculados alunos de 14 nacionalidades, sendo elas da África do Sul, Bolívia, China, Colômbia, Estados Unidos, Haiti, Japão, Nova Zelândia, Paraguai, Peru, Portugal, Romênia, Tailândia e Timor Leste. “É uma trabalho gratificante, pois fazemos o acolhimento e a integração do aluno às atividades da escola por meio do trabalho de equivalência de estudos. Um ou outro demoram mais, dependendo muito da língua que eles falam, mas todos acabam se adaptando bem e conseguindo acompanhar os estudos”, disse Juli Anne Bargiela, diretora da Escola Estadual Augusto Saes. 
 
Para que a dificuldade da língua e dos costumes seja minimizado, crianças e jovens são incentivados a participar de eventos culturais e pedagógicos. Já os inscritos na EJA (Educação de Jovens e Adultos) recebem, além da alfabetização em português, ferramentas para a inserção no mercado de trabalho. 
 
Segundo a diretora, em sua unidade, os alunos são de nacionalidades distintas como haitianos, colombianos, chilenos e portugueses. “Não é feito somente um trabalho de acolhimento com os alunos, mas com a família também, para que todos sejam inseridos a nossa sociedade. O convívio sempre é bom para todos. Mesmo com dificuldades, estes alunos acabam tendo um bom desempenho e até se destacam em sala de aula”, afirmou.
 
A aluna portuguesa, Lorena Leite de Oliveira Antônio, de 8 anos, afirma que foi bem recebida na escola e devido a familiaridade da língua, tem conseguido bons resultados. “Eu gosto de estudar e tenho tirado boas notas, principalmente em Português. Minha mãe me ajuda bastante, porém os meus amigos de classe também me dão apoio”, disse.
 
Em São Paulo, os estudantes estrangeiros são 10.298 matriculados nas escolas paulistas, número é 15% maior do que o registrado em 2016, quando 8.942 não brasileiros estavam nas unidades escolares do estado. Dentre os alunos de diversas nacionalidades espalhados pelas 91 Diretorias de Ensino do Estado, estão mais de quatro mil bolivianos, 1,2 mil japoneses, cerca de 550 angolanos e aproximadamente 540 haitianos.