Emplacamento de veículos cresce 13% na cidade

carros Venda de motocicletas foi que mais cresceu nos últimos meses. ( Foto: Claudinho Coradini /JP)

Nos nove primeiros meses deste ano, os 7,1 mil veículos emplacados em Piracicaba praticamente igualaram a quantidade registrada ao longo dos doze meses dos anos de 2015 e 2016 (7,5 mil). Considerando a média diária, o ritmo de novos emplacamentos em Piracicaba até setembro foi 13% superior ao registrado no passado e cerca de 25% maior que em 2015 e 2016. Os números da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) para Piracicaba são semelhantes aos dados nacionais e indicam a retomada da economia em 2018.

O cenário é ainda mais animador quando se considera que o volume de vendas cresceu no último bimestre e, normalmente, o último trimestre é o melhor para o setor. “Se continuar no mesmo ritmo dos primeiros dias deste mês, será melhor que o restante do ano”, afirmou Agnaldo Lopes, diretor da Aversa Motos. Segundo ele, o volume de vendas de motocicletas cresceu repentinamente nos últimos meses que a empresa enfrenta dificuldade para ter o produto à pronta entrega.

“Em razão da crise, as fabricantes retraíram a produção e, com a retomada das vendas, há quatro meses, não conseguiram repor nosso estoque. Mas elas já se adequaram e, a partir deste mês, estamos próximos da normalidade”, disse Lopes, que observa também a melhora na obtenção de crédito por parte dos clientes. Ele acredita que, depois da definição do próximo presidente de República, a tendência é que “as coisas melhorem ainda mais”.

NACIONAL – Dados da Fenabrave para o Brasil mostram que, de janeiro a setembro de 2018, foram emplacados 2,6 milhões de veículos, considerando automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, o que representam alta de 12,64% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Apenas em setembro, foram comercializadas 299,5 mil unidades, 8,5% acima do volume registrado em idêntico mês de 2017, quando foram vendidos 276,1 mil veículos. Entretanto, quando comparado com agosto, este volume representa queda de 14,99%, explicada pelos quatro dias úteis a menos (em setembro foram 19 dias, contra os 23 dias de agosto).

O presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, diz que os indicativos econômicos, como os índices de inadimplência, estão nos melhores patamares desde 2011 e, somado ao crescimento mês a mês da confiança do consumidor, estão mantendo as expectativas positivas para o mercado neste ano.

O atual cenário econômico nacional e o desempenho das vendas de veículos nos três primeiros trimestres levaram a Fenabrave a rever as projeções de vendas de veículos para 2018. A entidade projeta, para este ano, alta de 12,4% em relação a 2017, contra os 9,8% estimados anteriormente.

(Rodrigo Guadagnim)