Empresário depõe a PF

Um empresário de Piracicaba foi ouvido na Polícia Federal, ontem, na 3ª fase da Operação Carne Fraca, batizada de Operação Trapaça. O objetivo é investigar fraudes praticadas por empresas e cinco laboratórios acusados de burlar o SIF (Serviço de Inspeção Federal) e não permitir a fiscalização eficaz do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). São acusados de fraudar resultados de exames em amostras do processo industrial, informando ao SIF dados fictícios em laudos e planilhas técnicos sobre Salmonela, usados para exportação. Um ex-diretor-presidente global da BRF Brasil Foods Pedro de Andrade Faria foi preso, em São Paulo. Foram presas nove pessoas ligadas a empresa, que detém as marcas Sadia e Perdigão.
 
O delegado-chefe da Policia Federal de Piracicaba, Florisvaldo Emílio das Neves, disse que um celular que pertence ao empresário foi apreendido, mas não antecipou o suposto envolvimento dele no esquema. “Não podemos comentar, por hora, o andamento da investigação. Ele foi trazido para a sede da delegacia na cidade, onde foi ouvido e depois liberado”, afirmou Neves.
 
A BRF informou que segue normas e regulamentos brasileiros e internacionais sobre produção e comercialização de seus produtos e que a Salmonella Pullorum não causa dano à saúde humana.