Engenho Central sedia 1º Carnaval Popular

Como não acontece em Piracicaba desde 2017 desfile carnavalesco, quatro escolas de samba oficiais do município — Acadêmicos do Caxambu, Ekyperalta, Estrela de Prata e Unidos da Cidade Alta — se uniram para promover neste ano o 1º Carnaval Popular no Engenho Central, que consiste em shows de grupos musicais nas noites de hoje e amanhã, no Engenho, com a finalidade de arrecadar verbas, por meio da venda de alimentos, para estruturação financeira, administrativa e física das próprias agremiações. A entrada nos eventos, que integram a programação carnavalesca da SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo), é gratuita e acontece pela Ponte do Morato e passarela pênsil.
 
 
Neste domingo, apresentam-se, das 15h às 19h, o Grupo Oitava Cor e, das 19h às 23h, Samba D’Aninha, ambos com samba e marchinhas no repertório. Amanhã, é a vez da Banda Oba-Lu-Aê, que faz show de Carnaval de Salão, fazer o público dançar das 20h à 0h.
 
 
Na praça de alimentação e bebidas haverá venda de cuscuz, pastel, porção de fritas, chopp, cerveja, refrigerante, água, açaí, entre outras opções. De acordo com o presidente da escola de samba Acadêmicos do Caxambu, José Luiz Ganino, todo o dinheiro líquido arrecadado com a comercialização dos alimentos será dividido e destinado às escolas de samba de Piracicaba.
 
 
“As escolas de samba, no intuito de satisfazer e não deixar os foliões sem Carnaval, optaram por fazer o evento no Engenho, espaço cedido pela Prefeitura. Como não tivemos desfile e competição das escolas, que acontecia na avenida Armando de Salles, no ano anterior e também este ano, por motivo de falta de verba pública, conforme acordo em carta com o poder público, o Carnaval no Engenho é um apoio para estruturação das escolas de samba, para que possam arrecadar fundos para realização dos próximos carnavais de rua. A gente sente muito, mas as mudanças no país, a crise, dificultaram tudo. Foi um ano difícil para todas as cidades”, explicou Ganino, acrescentando o dinheiro proveniente da venda dos alimentos e bebidas será utilizado, também, na realização de oficinas de arte e dança em bairros do município.
 
 
Para o presidente da Acadêmicos do Caxambu, o 1º Carnaval Popular no Engenho Central é uma forma de fornecer autonomia e comodidade para as escolas de samba. “Não queremos mais depender de verba pública para fazer o desfile de Carnaval. Antes, tudo dependíamos deles, mas agora o foco é guardar dinheiro, fazer um caixa durante o ano para trazer uma festividade com recursos melhores para a população nos próximos Carnavais e voltarmos com força maior. O que eu gosto é a bateria, empurrar carro alegórico, ver a comissão de frente, o mestre-sala e a porta-bandeira, mas estamos em fase de adaptação”, concluiu.
 
 
De acordo com o presidente escola de samba Eqyperalta, Cassio Marcelo Silveira, “o evento, em ambiente familiar, terá catraca na entrada, detector de metal, seguranças em todo o local”. “É uma opção para quem quer se divertir e, muitas vezes, não tem o que fazer. É a alternativa que os presidentes das escolas de samba encontraram para não abandonarem o Carnaval em uma época de crise”, afirmou.
 
SERVIÇO — 1º Carnaval Popular no Engenho Central (avenida Maurice Allain, 454, Vila Rezende). Hoje: Grupo Oitava Cor, das 15h às 19h, e Samba D’Aninha, das 19h às 23h. Amanhã: Banda Oba-Lu-Aê, das 20h à 0h. Entrada gratuita. Informações: (19) 3403-2600.