Engenho recebe show em tributo a Inezita Barroso

Ao todo são 17 músicas, assinadas pelo paulista Marcelo Tupinanbá, o gaúcho Barbosa Lessa, o alagoano Heckel Tavares e o paraense Valdemar Henrique. (Foto: Gustavo Annunciato)

Nesta sexta(11), às 20h, o Teatro do Engenho, recebe o show “4 Ases e Uma Dama”, em tributo à cantora, pesquisadora e folclorista Inezita Barroso. O espetáculo reúne o cantor Lenine Santos e o Grupo Papo de Anjo, que apresentam canções de quatro compositores que se ligaram indelevelmente ao canto e à sua carreira, amigos e parceiros na pesquisa e valorização da música popular, regional e folclórica. A entrada é gratuita e os ingressos estão disponíveis no www.megabilheteria.com ou pessoalmente, na bilheteria da Casa de Espetáculos.

Ao todo são 17 músicas, assinadas pelo paulista Marcelo Tupinanbá, o gaúcho Barbosa Lessa, o alagoano Heckel Tavares e o paraense Valdemar Henrique. “Das lendas amazônicas de Henrique aos cantos nativistas ou tradicionalistas gaúchos, das obras afro- -brasileiras de Tavares às canções urbanas de Marcelo Tupinambá, Inezita define interpretações que serão para sempre um marco na música popular brasileira”, analisa o cantor Lenine Santos.

O programa traz desde canções que se tornaram sua marca registrada, como Negrinho do Pastoreio, Tamba-Tajá, Leilão ou Canção da Guitarra, até outras que hoje estão mais negligenciadas, como é o caso de Rancheira de Carreirinha ou os cocos Benedito Pretinho e Meu Barco é Veleiro, de Heckel Tavares e Joraci Camargo. “Também há canções que entram para ajudar a descrever a época em que a cantora nasceu e viveu, como O Passo do Soldado, de Marcelo Tupinambá e Guilherme de Almeida, e Meu Último Luar, de Waldemar Henrique”, explica Lenine.

Para ele, Piracicaba é a cidade ideal para a estreia do show, por sua ligação com a música e pela recepção sempre calorosa que deu à Inezita Barroso. “O Grupo Papo de Anjo e eu estamos ansiosos para entregar essas canções ao público piracicabano, feitas com muito carinho. Melhor teatro não pode haver que esse bonito Teatro do Engenho, que leva o nome de Erotides de Campos, outro grande compositor brasileiro”, completa Lenine.

INEZITA

Inezita Barroso ultrapassou a marca de 60 anos de carreira e de 80 discos gravados, sempre trazendo clássicos da música popular brasileira e caipira e comandou por mais de 30 anos o programa Viola, Minha Viola, na TV Cultura. Grande pesquisadora da cultura popular e do folclore nacional, aprendeu a lapidar diamantes brutos, recolhidos da lavra popular e entregá-los ao público com arranjos requintados, ora orquestrais e grandiloquentes, ora intimistas e simples, mas sempre adequados à sua voz marcante e personalíssima. Ela faleceu em 8 de março de 2015, cinco dias após seu aniversário de 90 anos, em São Paulo.

SERVIÇO

Show 4 Azes e Uma Dama, em tributo a Inezita Barroso. Sexta (11), às 20h, no Teatro do Engenho Central). Entrada gratuita. Ingressos: www.megabilheteria.com ou pessoalmente, na bilheteria da Casa de Espetáculos. Informações: (19) 3413-8526.

Da Redação