Entidade despeja mais 70 mil peixes no rio Piracicaba

O rio Piracicaba recebe hoje nova soltura de peixes. Desta vez, são 70 mil alevinos da espécie piracanjuba. O objetivo é recuperar a fauna e a flora, bem como repovoar o rio. O ato está marcado para às 11h de hoje, pela AES Tietê (concessionária responsável pela barragem de Barra Bonita), em reservatório da usina de Barra Bonita, em Santa Maria da Serra. A ação faz parte da programação do Passeio de Barcos que acontece amanhã, às 9h, e chega em sua 21ª edição.
 
Presidente do Instituto Beira Rio, Luís Fernando Magossi, o Gordo do Barco, diz que a iniciativa integra a agenda anual de repovoamento de rios da geradora, cuja meta, até 2019, é entregar 1 milhão de alevinos ao rio Piracicaba. “Não é sempre que se consegue uma soltura nestas proporções, mesmo que a concessionária seja obrigada a fazê-la. Nos últimos sete anos foram mais de 770 mil alevinos soltos entre pacu, curimbas, piracanjubas e, mais recentemente, dourados. Esta é a segundo do ano e temos previsão de outras duas”, disse.
 
A ação conta com a parceria das prefeituras de Piracicaba e Santa Maria da Serra, Aperp (Associação dos Pescadores Esportivos do Rio Piracicaba e Afluentes) e da Associação de Moradores da cidade.
 
Gordo reforçou a importância de respeitar o período da Piracema. “Esta época é importante para que os peixes repovoem naturalmente o rio, já que estão em período de desova, que segue com pesca proibida até 28 de fevereiro. Precisamos colaborar com o meio ambiente e a saúde do nosso rio”, completou.
 
A expectativa é que o Passeio de Barcos reúna até 300 embarcações e cerca de 1.000 pessoas. Para isso, as inscrições seguem abertas e devem ser feitas, de preferência antecipadamente no Largo dos Pescadores, das 18h às 21h de hoje. “A adesão custa R$ 20, mais um quilo de alimento não perecível. Antes do início do evento também será permitido a inscrição de embarcações e pessoas. A concentração para o evento será a partir das 9h, também no largo dos Pescadores”, lembrou Magossi.
 
A orientação é que todos os participantes usem coletes salva-vidas classe 5 devidamente homologado pela Marinha e com a sua inscrição impressa no colete. “É para usar e não deixar no barco. Quem estiver irregular estará sujeito a multa. A Marinha Brasileira estará com pelo menos três barcos para fiscalização durante o evento”, afirmou.