Épocas

Ao ler diariamente notícias infames sobre nossos governantes, resolvi apresentar uma comparação deprimente para nós.
Espanto-me com a quantidade destes personagens que deixarão nos anais de nossa história, que, forçosamente, irá se rotulada de Época da Corrupção.
 
A Grécia antiga, embora recortada por cidades-estados, conseguiu deixar-nos uma plêiade de artistas e sábios que conseguiram enriquecer a cultura grega, a ponto de ser tomada, por exemplo, e admirada até hoje.
 
Homero, com suas duas obras literárias: Ilíada (narra a guerra de Tróia) e Odisseia (sobre as façanhas de Ulisses), foi acompanhado por Sólon, Safo, Anacreonte, Píndaro.
 
Heródoto, considerado o pai da história, acompanhado por Tucídites, expôs a Guerra do Peloponeso, que enfraqueceu a Grécia, propiciando sua tomada por Filipe da Macedônia, pai de Alexandre Magno e Xenofonte, que, por sua vez, descreveu a heroica retira dos 10 mil gregos do território Persa.
 
O teatro, com Ésquilo, considerado pai da tragédia grega, escreveu 80 tragédias e 20 dramas satíricos. Por sua vez, Sócrates, contemporâneo de Ésquilo, produziu 113 tragédias, entre elas, Édipo Rei.
 
Na filosofia, a Grécia teve grandes e numerosos expoentes, os três maiores foram Sócrates, Platão e Aristóteles.
Na matemática destaco Tales de Mileto, Euclides, Pitágoras e Arquimedes.
 
Não há espaço para dissertar sobre pintura, biologia, medicina e as colônias gregas.
 
Outra época que produziu inúmeros artistas foi o Renascimento, iniciado pela Itália e expandindo pela Alemanha, Países Baixos (Holanda e Bélgica), França, Inglaterra e Espanha.
 
Citarei apenas alguns destaques que se perpetuaram com suas obras: Dante Alighieri, com sua monumental obra, Divina Comédia. Leonardo Da Vinci, talvez o maior gênio até hoje, Miguelangelo, arquiteto e pintor incomparável. Maquiavel, com sua obra prima ”O Príncipe“ e Shakespeare, o maior gênio da história do drama.
 
Fico amargurado ao constatar que nesses países citados e em outros mais, houve momentos que uma plêiade de artistas deixou obras que engrandeceram sua história.
 
No Brasil, também tivemos alguns que se destacaram, mas tantos e não como os citados.
 
A lembrança que vai ficar na nossa história atual é de causar espanto, de como tantos ao mesmo tempo, conseguiram criar uma rede de corrupção, que envolve todos os poderes. A cultura grega, o renascimento e a revolução industrial continuarão na História como épocas memoráveis, enquanto a nossa será lembrada como um Brasil campeão da corrupção. 
 
Pela quantidade de corruptos, aliado aos poderes de que eles estão investidos, vai ser utópico achar que 2018 será melhor.