Equipe do Águia usa ‘Bambi Bucket’ em treinamento de combate à incêndio

Equipe mantém treinamento constante. (Fábio Geronimo/cedida)

A equipe do helicóptero Águia da Base de Aviação da Polícia Militar da Polícia Militar de Piracicaba realizou mais um treinamento de combate à incêndio. Os pilotos e tripulantes usaram o equipamento “Bambi Bucket” com capacidade de 820 litros de água, próximo a pedreira do bairro Jupiá, na tarde desta segunda-feira (20). Os integrantes da equipe já estão se preparado para o período de estiagem, que se aproxima e deve aumentar a quantidade de atendimentos à queimadas.

 

Equipamento usado em locais de difícil acesso. (Fábio Geronimo/cedida)

O capitão e piloto da equipe Thiago José Tomazela disse que os tripulantes e pilotos passam por treinamento constante, conforme as orientações do comandante, o major Edgard Gaspar, pois como atuam em situações de apoio adversas, eles precisam ficar preparados sempre. “Somos aquilo que treinamos. A garantia de nosso sucesso faz parte do nosso treinamento”, enfatizou Tomazela.

Segundo ele, o Águia atua tanto no suporte à Polícia Militar na busca de suspeitos em matas, ou acompanhamento, bem como ao Corpo de Bombeiros, em incêndios, por exemplo.

 

Trabalho conjunto com o Corpo de Bombeiros. (Fábio Geronimo/cedida)

São justamente em incêndio de grandes proporções que o “Bambi Bucket” é utilizado. “O equipamento é empenhado em ocorrências de grandes proporções, quando o acesso por terra é difícil, como também em situações de risco a áreas de preservações e pessoas”, afirmou o capitão.

Também participaram do treinamento: o tenente Carili, os sargentos Duarte e Júlio, e os cabos Edmar e Valtolti.

BRUMADINHO

O capitão disse que apesar de estarem sempre preparados para quaisquer tipos de ocorrências, os pilotos e tripulantes não esperavam que pudessem atuar em sua situação tão crítica, como ocorreu no rompimento da barragem de Brumadinho, no dia 25 de janeiro de 2019.  Ao todo, 169 bombeiros paulistas, além de quais quatro médicos e quatro enfermeiros do Grau, quatro médicos da Polícia Militar do Estado de São Paulo e três enfermeiros do Comando de Aviação da Polícia Militar, foram enviados ao local para auxiliar nas ações de resgate e emergências após o rompimento da barragem de uma mineradora.

Equipe tem procedimentos padronizados. (Fábio Geronimo/cedida)

“Piracicaba realiza treinamentos padronizados e usamos os procedimentos de outras equipes do Estado. Foi dessa forma que agimos em Brumadinho com outras equipes, que foram mescladas. Como atuamos da mesma maneira não encontramos dificuldade na realização de nosso trabalho”, afirmou Tomazela.

Naquela ocasião, a aeronave chegava a ficar minúscula diante da imensidão do mar de lama que se formou. A força dos dejetos era tamanha, que amassou vagões e locomotivas como se fossem papel. Diante dessa situação a localização de uma vítima com vida era praticamente impossível.

 

Cristiani Azanha