Ermelindo Nardin em palestra no Sesc

Sesc Artista plástico participa do encontro “Trajetórias”. ( Foto: Thiago Altafini )

Hoje às 19h, no Sesc Piracicaba, o artista plástico Ermelindo Nardin fala sobre a própria trajetória profissional e assuntos da vida pessoal em evento com entrada gratuita. O encontro “Trajetórias” tem como objetivo homenagear personalidades que se dedicam ao mundo do conhecimento e da arte e que contribuíram ativamente para o enriquecimento cultural da cidade. O evento reflete sobre a riqueza do material produzido pelo convidado ao longo da vida e o valor que eles preservam como fontes de pesquisa. A mediação é do jornalista Romualdo Cruz Filho, com parceria com a TV Unimep.

Nesta edição, além de Ermelindo Nardin, participaram Umberto Cantoni, Beth Elias, Paulo Leme Affonso Machado e João Chaddad, todos personalidades de referências na cidade – em artes plásticas, arquitetura, música e meio ambiente – escolhidos a partir de critérios como o reconhecimento público, vasta produção em suas respectivas áreas de especialidade e idade.

O ARTISTA – Piracicabano, nascido em 1940, Ermelindo Nardin é um dos grandes nomes da arte contemporânea brasileira. De família de artistas, ainda muito jovem foi aluno de frei Paulo Maria de Sorocaba, no Seráfico São Fidelis, onde vivenciou momentos da arte pictórica, o que o estimulou a dar sequência aos estudos no campo da estética, se destacando como professor e pintor. Estudou na Escola de Belas Artes de São Paulo entre 1957 e 1962 e, paralelamente, fez curso de história da arte com Wolfgang Pfeiffer, de desenho e pintura com Augusto Barbosa, de história da estética com Renato Cirell Czerna, no Museu de Arte de São Paulo (Masp), onde tinha em Pietro Maria Bardi um amigo e admirador.

Ministrou curso de xilogravura na Escola de Belas Artes de São Paulo. Fez doutorado em Artes na USP em 2002. Foi professor titular da Unicamp e da Faculdade Santa Marcelina. Realizou, em 1968, sua primeira exposição individual no Museu de Arte Contemporânea José Pancetti (MACC). Em 2005, realizou exposição no Instituto de Estudos Brasileiros (USP), onde foi lançado o livro “Nardin: Coleção de Artistas da USP”. Foi premiado pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) como melhor desenhista de 1980.

O reconhecimento da qualidade de sua produção o levou a realizar várias exposições nacionais e internacionais. Hoje, fazem parte do acervo de grandes colecionadores e de alguns dos principais museus do Brasil e do mundo. A crítica especializada sempre o tratou com muito carinho e consideração nas suas mais diversas fases criativas.

SERVIÇO — Trajetórias, com Ermelindo Nardin. Hoje, às 19h, no Sesc (rua Ipiranga, 155, Centro). Entrada Gratuita. Informações: (19) 3437-9292.

(Raquel Soares)