,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Malinois Aruk se aposenta após 8 anos dedicados à Polícia Militar
  • Presídios fazem campanha contra tuberculose
  • Preços dos combustíveis estabilizam

Ex-Flu, Dourado festeja estreia com gol no Flamengo e agradece carinho da torcida
Agencia Estado
11/02/2018 11h00
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Após deixar o Fluminense e ser contratado pelo rival Flamengo, Henrique Dourado estreou bem pelo seu novo time. O atacante marcou um dos gols da vitória por 3 a 1 sobre o Botafogo, no último sábado, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, e festejou o fato de ter começado bem a sua trajetória com a camisa rubro-negra. "A contribuição nem sempre virá com gols. Posso puxar a marcação muitas das vezes, criar espaços para os jogadores que vêm de trás e fazer o pivô. A oportunidade que tive no segundo tempo pude concluir em gol. Fiquei muito feliz, porque é sempre bom estrear marcando. Isso traz ainda mais confiança", afirmou o jogador, em entrevista coletiva, ao analisar o seu desempenho no clássico no qual o Flamengo garantiu vaga na final da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca. O jogador também destacou após o confronto o ótimo tratamento que vem recebendo da torcida flamenguista, que vem deixando a antiga rivalidade de lado e o fato de goleador ter se tornado ídolo pelo Fluminense. "Nada mal. Esse carinho que venho recebendo desde que fui anunciado tem sido magnífico, muito especial. Quero retribuir tudo isso dentro de campo. Por mais que às vezes a bola não entre, preciso continuar me dedicando. Não pode faltar o empenho", enfatizou. A equipe comandada pelo técnico Paulo César Carpegiani enfrentará o Boavista na decisão da Taça Guanabara, no próximo domingo, e Dourado admite que ainda está em busca do melhor entrosamento com os seus novos companheiros para poder brilhar no ataque rubro-negro, depois de ter sido o principal goleador do Brasil no ano passado pelo Fluminense. "Quando se joga ao lado de jogadores com a inteligência que têm os nossos, tudo fica mais fácil. Às vezes não participo tanto com a bola no pé, mas abrindo espaço, como foi no gol do Éverton. E quando surgir a oportunidade, tenho que estar pronto para concluir. Aos poucos vamos adquirindo esse entendimento, porque em um olhar você consegue entender o companheiro. Isso vai fluir naturalmente", garante.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar