Está preparado para ter um pet em casa?

animal Veterinário afirma que é necessário cuidar da saúde do animal e oferecer carinho

Antes de comprar ou adotar um cão é necessário que a pessoa reflita se está preparada para ter um pet, conforme o veterinário Aldo Macellaro Júnior, do hotel fazenda para cães Clube de Cãompo. Ele afirma que cachorros não são brinquedos e nem objetos de decoração. “É um ser vivo e requer cuidados, por isso as pessoas devem analisar se estão dispostas a assumir um compromisso sério e por muito tempo. Cães vivem mais de uma década”, comentou, acrescentando que isto significa que serão anos de dedicação com alimentação, cuidados com a saúde, banhos e passeios.

O veterinário enfatizou que estar preparado não significa apenas dar “casa, comida e roupa lavada”. É necessário oferecer amor e carinho, além de investir parte do tempo em brincadeiras e passeios. “Mesmo quem mora em casa grande, com quintal, deve dedicar um tempo para o seu cachorro”, falou. Segundo o profissional, os cães ficam entediados quando passam longos períodos sozinhos e não realizam atividades suficientes para gastar energia. “Não podemos também nos esquecer que o sedentarismo pode ocasionar problemas de saúde, como a obesidade”, alertou.

Assim como os seres humanos, os pets, segundo Macellaro Júnior, também podem sofrer crises de depressão, que são alternadas com momentos de grande agitação, levando-os a destruir móveis e objetos, fazer as necessidades fora do local adequado, latir muito e lamber as patas compulsivamente, chegando até mesmo a se machucar.

Outro fator que deve ser levado em consideração é quem ficará com o cão enquanto o dono estiver ausente, no trabalho ou precisar viajar. “Adestradores e dog walkers são boas opções, mas é fundamental encontrar alguém com quem o cão se adapte bem e se sinta confortável. Para quem vai viajar, existem os hotéis fazenda”, comentou o veterinário. Ele disse, ainda, que ter um cão é também assumir um grande compromisso financeiro. “Antes de se render àquele olhar irresistível, é preciso colocar na ponta do lápis os gastos com ração, veterinário e vacinas e também ter sempre uma reserva para situações de emergência. Ter um animal de estimação em casa implica em responsabilidade, por isso, sempre recomendo que as pessoas reflitam muito bem antes de optar pela adoção ou compra do pet”, aconselhou.

(Da redação)