Estação Ecológica Ibicatu conta com gestão participativa

Estação fica numa área de 76,4 hectares, na região Centro-oeste de Piracicaba (Crédito: Divulgação)

Situada numa área de 76,4 hectares, na região Centro-oeste de Piracicaba está a Estação Ecológica Ibicatu. Desde 2006, a Estação é administrada pela Fundação Florestal, vinculada à Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. O local destina-se à realização de atividades restritas a visitas programadas, de caráter educacional e desenvolvimento de programas de conservação. Com um custo anual de R$ 120 mil, em dezembro de 2018, a Estação Ecológica Ibicatu passou a ter um Conselho Gestor, integrado por poder público e sociedade civil.

Segundo Antônio Alvaro Buso Junior, gestor da Estação Ecológica Ibicatu, a unidade também conta com gestor pertencente aos quadros da Fundação Florestal. “No entanto, no ano de 2018 foi instituído o Conselho Gestor da Estação Ecológica Ibicatu, o que permitirá que a gestão da unidade seja feita de forma participativa, com representantes da sociedade civil e de órgãos governamentais”, explica.

A visitação pública, reforça Buso Junior, é permitida apenas para atividades de educação ambiental. “Essas visitas devem ser agendadas com antecedência e os visitantes devem ser sempre acompanhados por monitores da própria unidade de conservação”, destaca.

Em relação à estrutura da Estação Ibicatu, a assessoria de imprensa da Fundação Florestal informa que a unidade conta com apenas um profissional para os trabalhos de gestão e fiscalização e não demanda outros serviços. Segundo a Fundação, o escritório da Estação foi instalado em sala cedida pelo Cena (Centro de Energia Nuclear na Agricultura/USP), sendo que o telefone de contato pertence ao próprio gestor.

 

METAS

Durante a reunião de posse do Conselho Gestor da Estação Ecológica de Ibicatu, realizada em 18 de dezembro de 2018, foram estabelecidas as principais metas de trabalho para este ano. As principais são: a elaboração do Regimento Interno do Conselho Gestor e do Plano de Manejo da Unidade – documento que estabelece as normas, restrições para o uso, ações a serem desenvolvidas e manejo dos recursos naturais da UC (Unidade de Conservação), do entorno, dos corredores ecológicos a ela associados. Também há a possibilidade da implantação de estruturas físicas dentro da UC, visando minimizar os impactos negativos sobre a unidade, garantir a manutenção dos processos ecológicos e prevenir a simplificação dos sistemas naturais.

(Eliana Teixeira)