Estádios de São Paulo não venderão bebida alcoólica na Copa América

Quem vier assistir as partidas em São Paulo não poderá consumir bebida alcoólica (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

O torcedor que for assistir a uma das seis partidas da Copa América disputadas em São Paulo não poderá consumir ou comercializar bebidas alcoólicas na área de bloqueio prevista para os jogos e dentro dos estádios. Isso porque uma lei estadual (9.470/1996) proíbe a comercialização, distribuição e o consumo de bebidas alcoólicas nos jogos de futebol. Há também uma lei municipal (12.402/1997) que proíbe a venda de bebidas alcoólicas nos estádios da capital.

Isso não ocorreu durante a Copa do Mundo de 2014 porque, naquele momento, foi criada a Lei Geral da Copa que permitiu a comercialização de bebidas em todos os estádios do Brasil. Como para a Copa América não foi criada qualquer lei especial, passa a valer as leis estaduais.

A informação foi confirmada ontem, em entrevista coletiva, por representantes das forças de segurança do estado de São Paulo. “A nossa legislação não permite a bebida no interior dos estádios. Portanto, não importa se é turista ou nacional, ele terá que cumprir a legislação do nosso país. Dessa forma, não haverá possibilidade de ingerir bebidas alcoólicas no interior dos estádios, por exemplo”, disse o tenente coronel Edmilson Colonello, da Coordenadoria Operacional da Polícia Militar.

Uma das seis partidas disputadas na capital paulista será a de abertura da Copa América, entre Brasil e Bolívia, no dia 14 de julho, às 21h30, Estádio do Morumbi. É esperada a presença do presidente Jair Bolsonaro, ministros e autoridades estaduais, mas ainda não está confirmada a presença de outros chefes de estado no jogo de abertura.

MANIFESTAÇÕES

Segundo o coordenador-geral do Centro de Operações Integradas da Secretaria de Segurança Pública, general Carlos Sérgio Câmara Saú, não há, até o momento, informações sobre a possibilidade de ameaças terroristas ao evento. “Temos serviço de inteligência que mapeia todas as possíveis hipóteses e estamos preparados para qualquer eventualidade ou emergência”, afirmou.

O general disse ainda que não existe preocupação especial com relação à greve geral, prevista para 14 de junho. “É outro aspecto que está sendo acompanhado. Temos monitorado esse tema, mas não temos ainda confirmação de que isso [greve geral] vá acontecer.”

MOBILIDADE

O trem especial da Copa do Mundo, que em 2014 levava os torcedores da Estação da Luz, no centro da capital, para a Arena Corinthians, em Itaquera, sem paradas, não vai funcionar. Para os torcedores que vão acompanhar os jogos da Copa América, a dica é a mesma: dirigjr-se aos estádios usando preferencialmente transporte público já que será proibido estacionar dentro das áreas de bloqueio.

Agência Brasil