Estado transfere gabinete da Agricultura a Esalq por um dia

Para o Diretor da Esalq, professor Durval Dourado Neto, os eventos possibilitam fomentar ações de inovação e empreendedorismo. (Foto: Claudinho Coradini)

Começou ontem a 62ª Semana Luiz de Queiroz e o EsalqShow 2019, que até sexta-feira (11) vai debater o tema “Desafios e oportunidades do agro brasileiro até 2030”. A cerimônia de abertura reuniu autoridades acadêmicas, políticas e empresariais, além de estudantes e funcionários da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP).

Para o Diretor da Esalq, professor Durval Dourado Neto, os eventos possibilitam fomentar ações de inovação e empreendedorismo. “Temos a satisfação de contarmos com uma delegação chinesa acompanhando o evento. Este é um marco do início das relações com a comunidade científica chinesa. Salientamos ainda as presenças de representações dos governos estadual e federal, o que fortalece ainda mais o papel da universidade.

ESTADO

Ontem, após a abertura do evento, no Edifício Central da Esalq foi instalado o Gabinete da Secretaria Estadual da Agricultura e Abastecimento, onde o secretário de Estado, Gustavo Diniz Junqueira, transferiu simbolicamente os atos da pasta para Piracicaba. “Aqui são formados centenas de profissionais que continuadamente desenvolvem a agricultura tropical. Por muitos anos tentamos copiar as soluções das áreas temperadas e, a partir do momento que passamos a investir e inovar, o agro brasileiro muda de rota e passa a ser o farol de toda a economia brasileira. E a Esalq é o berço desses profissionais, aqui se constroem pensadores e não apenas técnicos agrícolas”, declarou Junqueira.

ESTRATÉGIA

Durante a programa – ção, ocorreu ainda a assinatura do protocolo de intenções que celebram a Esalq/ USP, a Universidade Estadual Paulista (Unesp), por intermédio da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV), e a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por intermédio da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA).

O protocolo propõe ações conjuntas voltadas ao desenvolvimento do agronegócio em áreas estratégicas, formação de pessoal e o desenvolvimento sustentável do Estado de São Paulo por meio da criação do Programa São Paulo: Sustentabilidade e Produção (SPSP).

Da Redação