Estado traz “Corujão” à região de Piracicaba

Anúncio do “Corujão da Saúde” aconteceu na tarde de ontem na capital paulista.

A Secretaria de Estado da Saúde anunciou ontem, a ampliação do programa “Corujão da Saúde” para dez regiões do Estado. A meta é zerar a demanda reprimida por diagnósticos realizando 117.813 exames de endoscopia, mamografia e ultrassonografia nas regiões de Araçatuba, Araraquara, Barretos, Franca, Marília, Piracicaba, Registro, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista e Sorocaba.

Em Piracicaba serão realizados um total de 11.222 exames, sendo 3.682 endoscopias, 3.620 mamografias e outras 3.920 ultrassonogafrias.

Para atender a demanda, a pasta deve contratar serviços privados de saúde interessados em participar do programa, além de ampliar a oferta de atendimentos em serviços estaduais.
“Anunciamos hoje a terceira fase do Corujão, que vai atender mais dez regiões e, assim, cobrir todas as regiões do Estado. Nas fases 1 e 2 do programa, os resultados nos mostram enorme êxito, com quase todas as metas iniciais de exames alcançadas. O programa é um sucesso”, afirmou o Governador João Doria (PSDB).

O edital de chamamento público para os serviços privados de saúde interessados em participar do programa deve ser publicado em Diário Oficial de amanhã e as propostas deverão ser apresentadas pelas organizações em até dez dias.

Os exames serão realizados em horários alternativos, por meio de parceiros privados, bem como a ampliação da oferta nos serviços da rede própria estadual – hospitais e AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades).

Melhorar a vida do paciente que utiliza o SUS é nosso principal objetivo. O Corujão representa nossos esforços para enfrentar a demanda reprimida por exames na rede pública e, assim, agilizar diagnósticos e o tratamentos”, afirma o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann Ferreira.

O programa começou nas regiões da Grande São Paulo, Campinas e Vale do Paraíba. Em 12 de abril, foi ampliado para as regiões da Baixada Santista, Bauru, Presidente Prudente e São José do Rio Preto.

A Grande São Paulo foi a primeira região a zerar 100% da demanda reprimida pelos três tipos de exames, marco alcançado em 30 de maio. As mamografias foram executadas nos primeiros 44 dias do programa.

No Vale do Paraíba e na região de Campinas, as mamografias pendentes foram plenamente executadas até 24 de maio e 10 de junho, respectivamente. De modo geral, o programa já atingiu 80% de produtividade nesses locais.

 

(da Redação)