Estagiário com experiência de vida

O estágio é muito importante para a formação de universitários, sendo exigido em grande parte dos cursos como matéria obrigatória na grade curricular. Pensando nisso, logo vem a cabeça jovens de 20 e pouco anos, mas a pesquisa “O perfil do candidato a vagas de estágio em 2019”, realizada pela Companhia de Estágios, consultoria especializada em programas de estágio e trainee, indica que a realidade do mercado de trabalho está mudando, já que 12,4% dos profissionais entrevistados em todo o Brasil possuem mais de 27 anos de idade – o dobro quando comparado com 2017.
Outro ponto a ser destacado é que a busca de candidatos nessa faixa etária por estágios cresceu para 23%, o que representa um aumento de 25%, e reflete um maior interesse em estagiar advindo
de profissionais que já possuem algum tipo de experiência profissional.

De acordo com Tiago Mavichian, diretor da Companhia de Estágios, esses novos números remetem para crise econômica enfrentada pelo país, que deixou mais de 13 milhões de desempregados
só no primeiro trimestre desse ano, segundo dados do IBGE. “A recessão fez com que muitas pessoas mudassem de profissão ou se especializassem em outras áreas para que pudessem se adequar as demandas do mercado, isso acabou trazendo um novo perfil na busca pelo estágio. Apesar da experiência que muito desses profissionais já possuem por serem mais velhos, contrata-los é algo positivo para os gestores, pois eles conseguem trazer mais maturidade e expertise para as equipes”, explica.

O especialista ainda ressalta a importância da postura das empresas, que não devem olhar o estagiário apenas como “mão de obra barata”, mas como contribuidores diários e possíveis novos funcionários contratados.

SATISFAÇÃO PESSOAL

A crise não é a única responsável pela busca estágios por candidatos mais velhos. Para Mavichian, existe também uma tendência de necessidade por satisfação pessoal, fato que também pode impulsionar os profissionais experientes a se lançarem em uma nova tentativa de estágio.

“Às vezes as pessoas precisam arriscar e tentar novas coisas, buscar empregos que estejam mais alinhados com os seus propósitos e quando estão dispostas a isso, elas entendem que é necessário passar novamente por algumas fases, como o estágio, uma outra faculdade ou até mesmo um curso técnico, tudo para viver um novo desafio ou seguir uma vocação que acredita ter”, afirma o especialista. “Uma das características mais avaliadas nos processos seletivos é a capacidade de se adaptar a diversas situações, pessoas e ambientes, então, buscar um estágio aos 30 anos é um sinal de que o candidato não é acomodado e está disposto a reinventar”.

Seja qual for o motivo, a idade não deve ser um tabu no mercado de trabalho. As necessidades da empresa, muitas vezes, são pela experiência dos candidatos, e esse pode ser um ponto importante a se levar em conta na busca pela felicidade profissional.

“O segredo é manter-se atualizado, buscar sempre novos conhecimentos e entender como as antigas experiências podem contribuir neste momento”, ressalta Mavichian.

Mariana Requena