Estímulos à nossa transformação

Estamos tão condicionados a tomar como referência principal aquilo que nos chega por meio dos sentidos que quando percebemos impulsos ou sinais provindos do interior muitas vezes não lhes damos a devida consideração.

Informações nos chegam incessantemente sob as mais diversas formas, contextualizadas por comentários, referências e reflexões acerca de fatos e fenômenos. Estimulados de diversas formas, reagimos com pensamentos, emoções e lembranças, elaborando ou reforçando atitudes, pontos de vista, ideias ou ideais, os quais, por sua vez, influem em nossos padrões de conduta.

Além dos estímulos sensoriais, mentais e emocionais, parece-nos fundamental reconhecermos os impulsos sutis que nos alcançam. Intuições, revelações, inspiração artística ou criativa, insights, vislumbres e compreensão de realidades profundas da existência são fenômenos que revelam uma fonte interior, a qual pode ser acessada e se mostra rica de conteúdos e possibilidades, desde que reconhecida, valorizada e adequadamente utilizada. Todos sentimos inspirações dos mais diversos tipos, evidenciando a permanente rede de informações, ideias e energias de variadas origens e teores, cabendo a cada um a lucidez e o discernimento na escolha dos conteúdos mais harmoniosos e adequados.

Algumas práticas muito conhecidas nos movimentos espiritualistas e religiosos favorecem a conexão com níveis de realidade mais sutis e profundos, bem como sua canalização para a dimensão material da existência, com objetivos educativos, curativos e libertadores. Oração, meditação e contemplação, quietude interna e aspiração elevada favorecem a abertura do ser à misteriosa e silenciosa fonte de inspiração e intuição, como o comprovam todos os que têm se dedicado a essas práticas, nos mais diversos locais e circunstâncias, ao longo da história da humanidade.

Aqueles que atingiram uma comunhão intensa, profunda e duradoura com essa fonte foram considerados mestres, santos ou sábios, expressando tal comunhão por suas palavras e ações, invariavelmente permeados de sabedoria e amor. Felizmente, essa conquista não se encontra restrita a esses seres extraordinários, pois eles afirmaram ser possível, ao menos em certa medida, tal aquisição a todos os que se esforçassem por consegui-la, que se dedicassem sinceramente ao necessário autoconhecimento e à consequente autotransformação.

Essa tem sido a proposta de todos os caminhos espirituais autênticos, cujo objetivo é a educação integral e a libertação do ser humano, a fim de que expresse de modo mais pleno sua natureza essencial, divina, contribuindo desse modo para uma sociedade mais justa e fraterna, pacífica e feliz. A adesão a um desses caminhos representa o encontro de um estímulo exterior (princípios, ensinamentos e preceitos) com a natural e essencial aspiração do ser humano pela transcendência e pela plenitude que, segundo os sábios e instrutores de todas as épocas, é acessível a todos aqueles que estejam dispostos a empreender essa jornada.

(André de Paiva Sallum)