Estreante, atleta piracicabano é prata no Pan-Americano

esportes Matheus Ruiz da Costa e o treinador, Julio Costa, que também é pai do atleta. ( Foto: Líder Esportes)

O piracicabano Matheus Ruiz da Costa, 13, conquistou no último fim de semana a medalha de prata no Campeonato Pan-Americano de Kickboxing, evento realizado em Cancún, no México. O atleta da equipe Brock Team Fighters foi o segundo colocado na modalidade kick light, categoria -52 kg (tatame), 13 a 15 anos. Essa foi a primeira competição que o jovem lutador disputou fora do país. Apesar da pouca idade, ele já soma títulos expressivos na carreira, como a Copa Brasil de Londrina (PR), o Brasileiro em Maringá (PR) e o Sul-Americano de Foz do Iguaçu (PR), todos em 2017, além de títulos paulistas e Copas Tatame.

“O Matheus fez tudo o que nós treinamos: combinação de socos, chutes e fintas, mas teve uma dificuldade para achar distância do adversário na final. Ele enfrentou um oponente mais alto do que ele. Como ele é uma criança, não gosto de exigir a perda de peso. O Matheus está em fase de adaptação na categoria e pegou um atleta muito mais rodado”, afirmou Julio Costa, que além de treinador, é também o pai de Matheus. “Acredito que pesou também o fato de ser um Pan-Americano e ele desfilar na abertura com a bandeira do Brasil. Muitas coisas passaram na cabeça dele”, disse.

Na classificação geral do evento, o Brasil ficou com o segundo lugar. A delegação nacional conquistou o total de 98 medalhas, sendo 56 de ouro, 25 de prata e 17 de bronze. O México foi o campeão geral do evento, atingindo a marca de 147 medalhas: 68 ouros, 39 pratas e 40 bronzes. Chile, Argentina, Guatemala, Peru, Estados Unidos, Porto Rico, Colômbia e Equador, respectivamente, completam a lista dos dez países com melhor colocação na classificação final.

Fã de Felipe Micheletti, brasileiro campeão mundial de kickboxing, Matheus ficou invicto na modalidade point fight, categoria sub-12 (-42 kg), entre 2016 e 2017. Agora com 13 anos, ele iniciou a trajetória no kick light. Matheus sonha alto e tem como objetivo chegar no topo do esporte. “É uma experiência nova, mas estou treinando bastante. Eu quero um dia disputar o Glory (principal competição do kickboxing mundial). Vai demorar, mas é algo que penso muito”, finalizou o piracicabano.

( Líder Esportes)