Euridéia

Se eu não fosse imperador, desejaria ser professor, não conheço missão maior ou mais nobre que a as inteligências juvenis e preparar os homens do futuro” (Dom Pedro II – 1825-1891).

Em 8 de Setembro de 1973 eu estava em Belo Horizonte enviado pela direção da Unimep para representá-la em um Congresso da Faculdade Metodista de lá.

O Congresso começava no dia seguinte, o que deu a oportunidade de eu e minha falecida esposa. Meu irmão Benedito Fernandes Faganello e sua esposa Terezinha Camolese Faganello eram padrinhos dos noivos, Antônio João Lourenso e Euridéia Ribeiro d’Assunpção, que naturalmente nos convidaram.

Jamais esperava que a noiva ao vir para Piracicaba e se tornar uma professora de escol.

Aprova é que no dia 12/10/2019, suas colegas de magistério prestaram-lhe uma homenagem para esta eximia profissional há mais de 50 anos. Sem contar que no 15/10 dia do professor recebeu publico reconhecimento, com elogios verdadeiros, pois foi valorosa e deixou um currículo invejável: Professora de Educação Infantil, Prof. De Ensino Fundamental I e II, (língua portuguesa e Inglês), prof. De Ensino Médio, de Ensino de Jovens e Adultos, Vice Diretora de Escola e Diretora, Supervisora de Ensino, Coordenadora Pedagógica, Prof. Universitária. Por seu mérito chegou ao topo da escada e soube com a humildade de poucos retornar aos primeiros degraus como professora de língua portuguesa e Inglês, sempre com o mesmo entusiasmo, a mesma competência e a mesma esperança.

Suas amigas no encontro que fizeram demonstraram que foi gostoso com tantos depoimentos, histórias de amizades e deram-lhe parabéns pela sua aposentadoria, que é o merecido descanso.

Nossa Euridéia é uma professora eficaz, porque soube honrar sua missão dirigir as inteligências juvenis e preparar os adultos de tal forma que eles sentiram-se obrigados a homenageá-la.

No Talmude entre muitas está esta frase: “Feliz o aluno a quem o mestre agradece”. A gratidão é o melhor ornamento de uma pessoa.

Tenho em meus guardados os seguintes versos dos quais não anotei de quem foi: “Gratidão e Amor” – “Dois irmãos, gratidão e amor./ A gratidão é o amor, suave, mas constante./ Quem atravessa a vida como amante,/será também sempre um agradecedor.”

Aproveito do espaço para falar o que poucos dos meus inumeráveis alunos sabem. Fui um professor dedicado e preocupado com o futuro de meus alunos. Dei aulas em mais escolas do que a Euridéia e ela sem saber me deu a oportunidade de me livrar de uma mágoa que me acompanha há anos.

Dei aulas na Fernando Febeliano da Costa. Primeiro na década de 70 quando jovem. Era uma Escola fenomenal, até hoje os alunos fazem encontros. Depois retornei e, e ao fazer 70 anos aposentei compulsoriamente. Recebi um bilhete amanhã o sr. Não precisa comparecer.

Os alunos sem que ninguém soubesse foram pedir para os professores abrir mão da última aula, que eles tinham preparados uma festa de despedida. Só o primeiro colegial o professor não deixou.

Não sei como o primeiro colegial fez um libreto com a foto minha e na contracapa eles na escadaria da Escola. Nele cada aluno tinha duas páginas para escrever mensagens como esta; que aqui, esse brilhante professor possa ver ao menos uma fração de todo amor e carinho e agradecimento de seus alunos, afinal não há palavras suficientes que expressem toda a nossa admiração por ele. Com amor, alunos do 1ª.