Ex-vereador doa R$ 100 mil a entidades da cidade

A quantia de R$ 142,767 mil foi liberada, na semana passada, pela 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca (foto: Claudinho Coradini/JP)

O ex-vereador Paulo Camolesi doou R$ 100 mil a 14 entidades assistenciais de Piracicaba. O valor se refere à diferença resultante do reajuste no subsídio do ex-parlamentar no período de 2013 a 2016. Em 2012, em comum acordo entre o então candidato a vereador atendeu e o Movimento Mandato Coletivo, ele atendeu a demanda popular encaminhada pelo movimento Reaja Piracicaba e comprometeu- -se a não receber, caso eleito, o valor referente ao reajuste de 66% no subsídio dos parlamentares, votado naquele ano. Em 2013, Camolesi assumiu uma cadeira no legislativo pelo partido Rede e manteve o acordo, depositando a diferença líquida em uma conta judicial. Desse valor, também foi pago o imposto de renda do período. A quantia de R$ 142,767 mil foi liberada, na semana passada, pelo juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Piracicaba, Wander Pereira Rossette Júnior.

“Depois de conversar com a minha família e com o Coletivo, foi acordado doar uma porcentagem do montante às entidades assistenciais reconhecidas no município, totalizando R$ 100.100,00”, afirmou Camolesi.

Ele disse que foi pelo contador e pelas advogadas que acompanharam o processo a reservar parte do dinheiro para possível pagamento posterior do imposto de renda sobre a correção monetária. “Caso não ocorra a cobrança, reunirei o MMC para decidir o destino do valor restante”, afirmou. O anúncio da doação do valor recolhido durante o seu mandato gerou elogios, mas também a quem chame o ex- -vereador de louco. “Muita gente tem me chamado de louco, dizem que o dinheiro é meu, então que eu use pra mim”, contou com sorriso.

Ontem, o ex-vereador, que vive da aposentadoria, fez a penúltima doação. Ele disse que foi até a paróquia Imaculado Coração de Maria, na Paulicéia, e entregou R$ 4 mil ao padre João Bortoloci Filho. “Ele me disse que acabou de chegar do Haiti e fará uma campanha para perfurar dois poços artesianos e reformar uma escola e eu cheguei na hora certa com o dinheiro”, contou.

“Eu me sinto muito bem com o meu gesto”, acrescentou. De acordo com Maria Olinda, da Mucapp, entidade responsável por administrar mutirões de casas populares e que recebei R$ 20 mil de doação, o valor doado representa, praticamente, a construção de uma residência

Beto Silva
[email protected]