Ex-vice-diretor do FBI enganou investigadores, diz relatório

Um órgão interno do Departamento de Justiça, a inspetoria-geral, concluiu em relatório que Andrew McCabe, ex-vice-diretor do FBI, enganou investigadores que apuravam seu papel em fornecer informações em outubro de 2016 a um repórter para o Wall Street Journal. O relatório, que a inspetoria-geral enviou ao Congresso nesta sexta-feira, diz que McCabe não foi franco em conversas sobre o vazamento com graduadas autoridades do FBI e investigadores internos.

O documento, ao qual o Wall Street Journal teve acesso, lançou luz sobre o episódio que levou à demissão de McCabe no mês passado. Ele era um veterano agente do FBI, que perdeu o emprego um dia antes de poder se aposentar com benefícios integrais. O presidente Donald Trump e republicanos do Congresso já fizeram várias críticas ao ex-funcionário, o que gerou dúvidas sobre uma eventual motivação política para a demissão.

Na demissão de McCabe, o procurador-geral, Jeff Sessions, citou o relatório da inspetoria-geral, bem como a conclusão do FBI de que McCabe havia feito um vazamento não autorizado e não havia sido franco ao tratar do assunto, sob juramento.

Já congressistas democratas disseram temer que a demissão seria parte de um ataque à integridade e à independência do FBI e do Departamento de Justiça. O relatório concluiu que McCabe falhou ao permitir que o repórter Devlin Barrett soubesse da existência de uma investigação federal da Clinton Foundation. O jornal e Barrett, hoje no Washington Post, não quiseram comentar.

Hoje, Trump foi ao Twitter para criticar o comportamento de McCabe. “Ele mentiu, mentiu, mentiu!”, reclamou. Fonte: Dow Jones Newswires.