Ex vice-diretor do FBI entrega memorandos sobre Trump a conselheiro Mueller

O ex vice-diretor do FBI, Andrew McCabe, que na última sexta-feira (16) foi demitido pelo procurador-geral dos Estados Unidos, Jeff Sessions, manteve memorandos detalhando relações com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que foram entregues ao conselheiro especial Robert Mueller, responsável pela investigação sobre o suposto conluio entre Trump e autoridades russas e possível obstrução da Justiça. Os documentos são similares aos compilados pelo também ex diretor do FBI, James Comey, segundo apurou a Associated Press.

Os memorandos incluem detalhes de seus contatos com o presidente, de acordo com uma fonte próxima da situação que não quis ser identificada. Também trazem diferentes conversas de McCabe com Comey, que tinha notas de seus encontros com Trump. O conteúdo preciso não foi revelado ainda, mas deve ajudar a sustentar o argumento de McCabe de ter sido injustamente caluniado pela Casa Branca que, diz ele, declarou “guerra” ao FBI e à investigação de Mueller. É quase certo que os documentos também tragam detalhes até então não divulgados sobre os encontres entre a administração Trump e o FBI que podem contribuir às investigações de Mueller.

A demissão de McCabe era esperada e, segundo Sessions, foi conduzida sob recomendação de autoridades disciplinares do FBI, que alegaram que ele teria autorizado pessoas do FBI a conversarem com um repórter do jornal The Wall Street Journal sobre e-mails de Hillary Clinton, e que não havia colaborado com com fiscais durante a supervisão de como o FBI estava conduzindo as investigações sobre e-mais de Hillary Clinton. McCabe se aposentaria apenas dois dias depois de ser demitido, após 20 anos no FBI.

McCabe vem contestando as alegações, dizendo que sua credibilidade tem sido atacada como “parte de um amplo esforço não apenas para caluniá-lo pessoalmente”, mas também o FBI e a aplicação da lei.

Mueller averigua se as ações de Trump, incluindo a expulsão do ex-diretor do FBI James Comey, constituem obstrução da Justiça. McCabe pode ser uma importante testemunha no processo. Entre os documentos entregues a Mueller está também um memorando de Comey, no qual afirma que Trump o encorajou a encerrar uma investigação sobre o ex assessor de segurança nacional, Michael Flynn.

McCabe divulgou um comunicado defendendo sua atuação e afirmando que foi marcado pela administração Trump pelo “papel que desempenhou, ações que implementou e eventos que testemunhou” após Comey ter sido demitido em maio do ano passado. Ele assumiu a direção do FBI após a demissão, mas entrou em confronto com Trump, inclusive na ocasião em que publicamente rejeitou declarações da Casa Branca de que Comey havia perdido o suporte da equipe do FBI. Fonte: Associated Press.