Excesso de lixo ‘seca’ Véu da Noiva em Piracicaba

Material trazido pelas águas do rio interrompeu fluxo de água (Amanda Vieira/JP) Material trazido pelas águas do rio interrompeu fluxo de água (Amanda Vieira/JP)

A ausência da queda d’ água conhecida por Véu da Noiva, ao lado da Ponte Pensil, chamou a atenção de quem passou pela avenida Beira Rio, em Piracicaba, nos últimos dias. A quantidade de entulho trazida pelas águas do rio Piracicaba no período de chuva é apontada como causa do fim do fluxo de água que forma a cascata.

A prefeitura foi questionada e informou que realizou a última limpeza do Canal do Mirante, em força-tarefa entre Sedema (Secretaria de Defesa do Meio Ambiente), Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) e Defesa Civil, em janeiro deste ano.
Segundo a assessoria de imprensa, o grande volume de chuvas nos primeiros meses deste ano fez com que houvesse acúmulo de material na comporta, localizada no rio Piracicaba, na região do shopping, como areia, lixo e galhos de árvores. “Isso impede que a água entre no canal e siga até a cachoeira que desemboca no rio Piracicaba, na altura do salto. A próxima limpeza está programada para maio”, informou em nota.

EQUÍVOCO

O Canal foi criado para desviar a água para dentro do Engenho Central, construído em 1881 pelo Barão de Resende. A água servia para movimentar maquinário e também para o resfriamento de alguns processos. O curso d´água passa por dentro do Parque do Mirante e desemboca novamente no rio Piracicaba. Sua vista da avenida Beira Rio é uma das preferidas de piracicabanos e turistas. De acordo com a assessoria de imprensa, muitas pessoas chamam a queda, equivocadamente, de Véu da Noiva. Na verdade, a região do salto do rio, onde se forma uma bruma pelo movimento das águas, é o verdadeiro Véu da Noiva.

(Beto Silva)