Explosão em empresa mata três em Charqueada

acidente Ao ver o trabalho dos bombeiros,familiares entraram em desespero. (Foto: Claudinho Coradini / JP)

Três homens com idade entre 20 e 31 anos morreram na manhã de ontem após uma explosão, ocorrida por volta das 9h, no interior da empresa Biocapital de biocombustíveis e óleos químicos, instalada no bairro Bela Vista, em Charqueada. A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar o caso. Segundo o Corpo de Bombeiros, no momento do acidente os três funcionários realizavam um procedimento chamado de alvejamento do óleo vegetal em um reator, no qual é feita a mistura da matéria-prima com produtos químicos como o peróxido de hidrogênio, processo que produziria gás potencialmente explosivo.

As vítimas fatais da explosão foram Igor Barros da Silva, 20, Luis Gustavo dos Santos, 31, e Cláudio Bozzo Júnior, 30. C.C.B., 34, teve ferimentos leves provocados por estilhaços.
A explosão estremeceu as casas do entorno e foi ouvida no Centro da cidade, distante cerca de seis quilômetros. “Parecia o estouro de dinamite. Achei que fosse roubo ao banco, algo fenomenal. A cidade foi abalada”, descreveu o aposentado Renato Gomes de Medeiros. Ele estava na região central no momento da ocorrência. Rosemeire Godoi Dias, vizinha da empresa, disse que a explosão assustou os moradores da vizinhança. “Estava no meu quarto e, de repente, escutei uma explosão bem forte, nessa hora as janelas dos quartos tremeram. Todo mundo ficou assustado”.

O tenente do Corpo de Bombeiros, Elio Douglas Marcolino Lima, disse que, aparentemente, o reator estava intacto, o que indicaria que a explosão possa ter ocorrido em razão de defeito em uma válvula. “Mas isso apenas a perícia irá determinar”, contou. A explosão, explicou o tenente, provocou o deslocamento do ar em alta velocidade que atingiu as vítimas e as levou à morte instantânea.
O Corpo de Bombeiros de São Pedro chegou em dez minutos. “Já não havia mais fogo, a própria brigada da empresa atuou para combater as chamas. Fizemos apenas o resfriamento e a prevenção para a contenção do óleo e a retirada dele”.

Kleber Fonseca, diretor do Sindicato dos Químicos de Americana e Região informou que a Biocapital, empresa com cerca de 60 funcionários, encontra-se em recuperação judicial. “É uma empresa com a qual não é fácil de lidar. Já tivemos problemas com atraso de pagamento de INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), de recolhimento de FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço)”, lembrou.

Empresa foi multada um dia antes do acidente pela Cetesb

Um dia antes do acidente, a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) havia multado a Biocapital em 32 mil Ufesps (Unidades Fiscais do Estado de São Paulo), equivalente a R$ 822,4 mil, em função da disposição inadequada de efluentes líquidos industriais. Segundo o órgão estadual, foi a terceira penalidade pela mesma infração aplicada contra a empresa, cujas as operações foram iniciadas em 2006. Também anteontem, a Cetesb aplicou, à Biocapital, a segunda penalidade por emissão de odores, no valor de 600 Ufesps (R$ 15,4 mil).

Acidente abalou moradores da cidade de Charqueada.

Por meio de nota, a Cetesb informou que a Biocapital “apresenta a ocorrência de lançamento de efluentes diretamente no solo, fato que acarreta a chegada dos mesmos ao curso de água, por intermédio da drenagem de águas pluviais”.

A Biocapital informou, em nota, que “as causas do acidente estão sendo apuradas pelas autoridades competentes, estando à disposição para prestar todos os esclarecimentos necessários, colaborando com a investigação para a elucidação dos fatos. Nos solidarizamos com as famílias da vítimas, que contarão com nosso total auxílio e apoio”.

(Rodrigo Guadagnim)