Familiares e amigos dão último adeus a Gustavo Alvim

ex- reitor Familiares e amigos acompanharam enterro de professor universitário. (Claudinho Coradini /JP)

O último adeus a Gustavo Jaques Dias Alvim, 81, foi marcado pela emoção de familiares e amigos, que exaltaram sua atuação como advogado, jornalista, professor universitário, ex-presidente do XV de Novembro, ex-vereador e ex-reitor da Unimep. O sepultamento foi realizado ontem às 10h, no Cemitério da Saudade.

O velório e a cerimônia religiosa de despedida ocorreram na catedral da Igreja Metodista da rua Governador Pedro de Toledo, da qual Alvim era membro há 66 anos, sendo o mais antigo ainda em vida. O pastor Osvaldo Elias de Almeida, disse ter convido com Alvim por mais de 30 anos nas diversas instâncias da Igreja Metodista.

“O professor Gustavo foi de um contribuição única e ímpar para a vida da nossa igreja. Por ser um exímio canonista, e os cânones são nossa legislação maior, ele sempre tinha uma palavra de orientação canônica e isso restaurava a estabilidade da igreja. A morte dele representa uma perda muito grande para a Igreja Metodista do Brasil”, pastor Osvaldo Elias de Almeida.

O desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, Achile Alesina, também participou do velório e destacou a importância de Alvim para a igreja. “Conheço ele há muito tempo. Foi meu conselheiro dos juvenis na igreja. De lá pra cá, a convivência foi muito grande. É um homem de testemunho ímpar para nossas vidas e para a vida da nossa igreja. Eu tive o privilégio de conviver mais ainda com ele porque nós viajávamos juntos para ir aos concílios e concílio geral. Aprendi muito com ele”, disse.

Entre tantas atribuições significativas na Igreja Metodista, Alvim mantinha a de dedicado professor da Escola Dominical. “Estou com o coração cheio de saudade. A memória dele é o sal que vai continuar dando sabor à minha caminhada como coordenadora da escola dominical”, disse Zoé Pedroso Barbosa.

O bispo presidente da 5ª Região Eclesiástica da Igreja Metodista do Brasil, Adonias Pereira do Lago, participou da cerimônia e, em sua oração, pediu para que Deus console a família nesse momento de separação e para que “permaneçam todos acalentados e motivados por tudo o que o Gustavo realizou e representou enquanto vivo”.

O ex-prefeito Gabriel Ferrato compareceu ao velório e ressaltou a amizade, o caráter e a contribuição de Alvim para a cidade. “É uma relação muito longa. Eu o conheço desde quando era menino e ele foi meu vizinho de parede. Depois me encontrei profissionalmente com ele ao longo da vida. Ele deu uma grande contribuição para a preservação do patrimônio histórico e cultural de Piracicaba. Acredito que ele ajudou muito a construir esta cidade maravilhosa que nós temos, principalmente pelo seu caráter, pela sua honestidade e pelo seus princípios, importantes influências na formação de muita gente”

O professor Fernando Ferreira de Almeida destacou a humildade de Alvim, que, depois de já estabelecido profissionalmente, voltou à universidade para estudar Jornalismo. “O Gustavo foi meu chefe na Dedini, quando lá fui estagiário, depois ele veio fazer Jornalismo e eu fui professor dele. Sempre foi muito simples, uma pessoa que não tinha o orgulho por ser advogado, por ser reitor, ou por ter algum outro cargo de visibilidade. Tanto que ele foi meu chefe e eu cheguei a ser chefe dele, quando foi lecionar no curso de jornalismo [Almeida era coordenador do curso] e a relação foi sempre boa”, relatou.

(Rodrigo Guadagnim)