Famílias reivindicam brinquedos adaptados para deficientes

deficientes Vereador ouve pedidos no Paraíso das Crianças. (Foto: Amanda Vieira / JP)

A melhor fase da vida é a infância e o brincar está automaticamente vinculado a ela. O problema é quando a criança tem alguma deficiência e não há locais públicos que ofereçam brinquedos adaptados para que ela possa interagir com outras crianças. Na cidade, no entanto, existe apenas um espaço de lazer adaptado para cadeirantes, no Paraíso das Crianças, e lá existem somente dois brinquedos. A luta pela inclusão dessa parcela da população está entre os trabalhos desenvolvidos pelo parlamentar André Bandeira (PSDB), que também é cadeirante. Ontem, ele foi até o Paraíso da Criança, a pedido de algumas mães de crianças com deficiência, que reivindicam espaços públicos com brinquedos adaptados. No último dia 16, ele enviou ao Executivo a indicação 2.157/2018, em que pede estudos para instalação de brinquedos adaptados em áreas de lazer, playgrounds e parques do município.

“Nossa sugestão é que, além dos equipamentos, haja uma política de conscientização do bom uso e respeito desses espaços. Boa parte das pessoas com deficiência física na cidade são crianças. Onde está o lazer para elas, onde está a possibilidade de essas crianças se divertirem?”, indaga Bandeira.

Há um ano, Regiane Momesso largava seu emprego de auxiliar administrativa numa grande empresa hoteleira para cuidar em tempo integral de sua filha Lavínia, de 5 anos. Ela nasceu com uma má formação congênita que afeta os ossos da coluna e a medula espinhal, o que a faz ter dificuldade para andar sozinha. “Mãe nunca desiste, né?”, diz Regiane. Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgados em 2010, informam que pessoas com deficiência representam 20% da população de Piracicaba, sendo 22.465 com dificuldade motora, como Lavínia.

O parlamentar também solicita, desde 2015, que as próximas academias a serem instaladas na cidade sejam híbridas, ou seja, que atenda ao mesmo tempo pessoas com e sem deficiência. A Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente) informou, em nota, que até o momento instalou 70 academias ao ar livre em diversos bairros da cidade. Dessas, três possuem equipamentos para deficientes adultos e outra para crianças. Duas delas, para cadeirantes estão instaladas no Parque da Rua do Porto e no Ginásio Municipal Waldemar Blatkauskas. A terceira, mais nova, é a primeira academia híbrida da cidade, instalada no Parque de Lazer do Piracicamirim, a pedido do vereador. (Com Câmara de Vereadores)

 

(Fernanda Moraes)