Favorito


O Palmeiras (outra vez) será o grande favorito na temporada 2019? Teoricamente sim. A verdade é que o Alviverde acertou na mosca duas vezes. O feliz negócio envolvendo a WTorre, um dos maiores conglomerados do país, e o patrocínio com uma forte empresa de créditos. A WTorre, que aplica desde 1981 em shoppings, mercado imobiliário e centros de entretenimentos, construiu a Arena Allianz Parque, moderno multiuso para espetáculos vários e futebol, proporcionando altas receitas para os dois lados. A patrocinadora é do setor de crédito pessoal (1964) com mais de um milhão de clientes.

Já contratando, mesmo com um numeroso e bom elenco, o Palmeiras justifica que lutará por todos os títulos em 2019, com prioridade para a Libertadores. A patrocinadora comunicou que renovará o contrato com o clube sem diminuir o valor de R$ 80 milhões anuais. Detalhe: esse dinheiro é apenas para usar a marca no uniforme. Ela ainda compra o jogador que Felipão pede, emprestando dinheiro ao clube que devolve (sem juros) no momento que esse mesmo jogador posteriormente for negociado.

Na temporada que está terminando, foram investidos mais de R$ 600 milhões e números quase iguais, apenas por parte do Flamengo, que ficou com o vice título. Todos os demais clubes, pelo menos em São Paulo e Rio de Janeiro, vivem situações financeiras ruins. É verdade que nem sempre o dinheiro resolve. Cita-se 2018, quando o Palmeiras mirou quatro campeonatos (Paulistão, Copa do Brasil, Libertadores e Brasileiro) e ganhou apenas um. O presidente reeleito Maurício Galiotte, explica que o outro grande acerto (Luiz Felipe Scolari) chegou apenas no meio do ano.

Leila Pereira é casada há 36 anos com o dono da empresa de crédito pessoal. Torcedora fanática, é conselheira no Palmeiras e sonha ser presidente futuramente. Diz que dependerá do momento da sua vida. Seria dentro de três anos sucedendo o atual presidente do Alviverde. Garante que ser conselheira e dona do patrocínio ao mesmo tempo não atrapalha. Pelo contrário. Diz que acompanha tudo de perto e sabe como é gasto o dinheiro. Lembra: “Mais empresas poderiam fazer o mesmo, mas isso não acontece por falta de credibilidade no futebol, o que hoje é uma questão de honra no Palmeiras”.

Felipão promete: “Quero todos os títulos”. Não faltará estrutura. O Palmeiras não terá um time só. Serão vários, prevalecendo o sistema rodizio. O jogador sabe disso e quem chega é avisado. O ano de 2019 será mais verde ainda? Quem poderá impedir?