Fé e amor marcaram os 75 anos da Diocese de Piracicaba

Festa de encerramento foi no domingo (8), no Engenho Central e reuniu mais de 10 mil fiéis católicos. (Foto: Bolly Vieira)

Cerca de 10 mil pessoas participaram no domingo (8), da festa do Jubileu de Brilhante (75 anos) de criação e instalação da Diocese de Piracicaba, no Engenho Central. O encerramento da programação teve como ápice a celebração de missa solene presidida pelo representante do Papa Francisco no Brasil, o Núncio Apostólico dom Giovanni D’Aniello, concelebrada pelo bispo diocesano dom Fernando Mason e pelos arcebispos dom João Inácio Müller (OFM) de Campinas e dom Orlando Brandes, de Aparecida e Administrador Apostólico de Limeira, além de todos os padres diocesanos e religiosos.

Dom Giovanni chegou ao Engenho Central e fez questão de passar em meio aos fiéis antes de subir para celebração da missa. “Obrigado por me convidar e estou feliz por estar com vocês nesta festa. Hoje esta festa jubilar deve ser para todos a renovação da fé e do testemunho da Palavra de Jesus Cristo”, enfatizou o Núncio Apostólico.

Durante a missa era visível à alegria e a emoção de todos que se encontravam no Engenho Central. “Tenho orgulho de ser católico e pertencer à Diocese de Piracicaba”, disse o geólogo Álvaro Augusto de Oliveira Franco, 68 anos, pertencente à Paróquia Santa Clara, em Piracicaba.

Pouco antes de celebrar a Santa Missa, Dom Giovanni se encontrou com as autoridades civis da região. Durante o encontro foi acolhido pelo prefeito Barjas Negri. “A Igreja Católica, por meio da diocese, sempre foi uma grande parceria do poder público, principalmente nas ações sociais”, lembrou o chefe do executivo.

Durante os três dias que permaneceu em território diocesano, dom Giovanni D’Aniello foi até a periferia e celebrou missa na Paróquia São Francisco Xavier, em Piracicaba. Reuniu-se com a juventude diocesana na Sé Catedral Santo Antônio. Encontrou-se com o clero diocesano, seminaristas e vocacionados.

Celebrou no Carmelo do Imaculado Coração de Maria e de São José e para irmãs Carmelitas Descalças e também para as Irmãs da Ordem da Imaculada Conceição (Monjas Concepcionistas) e visitou o Lar Escola da Serva de Deus Madre Cecília do Coração de Maria, onde conheceu as obras sociais da instituição e se colocou à disposição a ajudar no processo de canonização de Mamãe Cecília.

Ao estar junto aos diocesanos, Dom Giovanni foi fiel ao seu lema episcopal: “Humildade e Caridade” e pediu para que todos rezassem por ele e pelo Papa Francisco.

Da Redação