Feriado será termômetro para vendas de fim de ano

Expectativa é de um aumento de 6,8% a mais de volume de vendas em comparação com 2018. (Foto: Claudinho Coradini/JP)

O 12 de outubro, Dia das Crianças, é a aposta do comércio de Piracicaba para alavancar as vendas e será o termômetro para setor definir as ações com vistas ao aumento das vendas no fim de ano. A expectativa é de um aumento de 6,8% a mais de volume de vendas no comprativo com o mesmo período do ano passado.

O comportamento do comércio em Piracicaba será monitorado pela CDL (Camada de Dirigentes Lojistas) antes e depois da data, que neste ano cai em um sábado. De acordo com Reinaldo Pousa, presidente da CDL, foi feita uma pesquisa na semana passada junto aos lojistas e será feita uma nova consulta e depois da data para verificar o comportamento do setor.

De uma forma geral, o momento é de expectativa de aquecimento nas vendas e retomada do setor. Para Pousa, um fato que influirá no aumento das vendas é o valor injetado pelo FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) liberado pelo Governo Federal. “A injeção desse dinheiro extra terá mais impacto do que a liberação dos recursos do FGTS feito em 2017”, comparou.

O presidente da CDL também chamou a atenção dos lojistas para atitudes que possam contribuir para atrair o consumidor neste 12 de outubro. “Voltamos a bater na mesma tecla: é preciso que os lojistas invistam mais na arrumação de suas vitrines com motivos referentes a data e principalmente no atendimento aos consumidores, motivo principal do crescimento das vendas”, afirmou acrescentando que a pesquisa realizada na semana pesquisa mostram que 71% dos lojistas acreditam no crescimento das vendas.

O Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba) informou na semana passada que estima um crescimento de cerca de 20% em relação às vagas abertas no ano passado para as contratações de temporários.

A entidade estima que o setor deva absorver 700 contratações temporárias neste ano. Os números têm como base as efetivações feitas nos dois anos anteriores no comércio, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Em 2017 e 2018, os dados mostram, respectivamente, um saldo positivo de 641 e 572 vagas em outubro e novembro.

Além disso, as informações mostram que cerca de 35% dos temporários são efetivados. Isso porque considerando-se as demissões de dezembro a fevereiro do ano seguinte, é possível observar um saldo positivo nas contratações de 119 em 2017 e de 202 no ano seguinte.

Beto Silva
[email protected]