FOP e a comunidade

Ter a FOP na cidade é motivo de orgulho para os piracicabanos. E, pelo visto, o novo diretor está empolgado e disposto a trazer mais inovações no ensino

Uma das faculdades mais emblemáticas do município, a FOP (Faculdade de Odontologia de Piracicaba) inicia uma nova etapa em sua trajetória de sucesso. Hoje, o novo diretor da faculdade, Francisco Haiter Neto, que assume como diretor da instituição de ensino da Unicamp pela segunda vez, às 15h30, em cerimônia no Salão Nobre Professor Plínio Alves de Moraes.

Ele foi eleito por votação democrática e a indicação foi acolhida pelo reitor da Unicamp. Ele assume no lugar do professor Guilherme Elias Pessanha Henriques. Ontem, a um dia de assumir o comando da instituição, o novo diretor disse que a prioridade é ampliar o atendimento à população. Esta é uma excelente notícia, principalmente para a população de baixa renda, que utiliza dos serviços da instituição.

Ainda antecipou que pretende iniciar ano que vem o setor de cirurgia de bucomaxilofacial, no Hospital Regional, também gerido pela Unicamp.
O novo diretor deixou bem claro, em reportagem na edição de hoje, assinada por Fernanda Moraes, que o grande desafio na área acadêmica é administrar uma instituição diante dos cortes de verbas e de incentivos às pesquisas.

Outro anúncio importante de Haiter, é a intenção de implantar tratamento contra câncer de boca no Hospital Regional. Hoje, segundo ele, a faculdade atende 1.500 pacientes por semana, de recém-nascidos a idosos. A intenção dele é ampliar esse número.

Para chegar novamente ao mais alto posto da instituição, Haiter teve uma trajetória de 29 anos como docente, pesquisador e gestor. A FOP é uma das instituições mais importantes do Brasil e sua instalação em Piracicaba ajuda a projetar o nome da cidade, que passou a ser reconhecida por causa dos seus celeiros de talento e pela excelência de ensino no setor.

Ter a FOP na cidade é motivo de orgulho para os piracicabanos. E, pelo visto, o novo diretor está empolgado e disposto a trazer mais inovações no ensino. E essa proximidade com a comunidade é muito salutar num país como o Brasil, em que o acesso à odontologia não atingiu todos as classes sociais, principalmente as menores favorecidas.Que venham mais inovações…Que venham mais projetos sociais para a cidade…Todos ganham com isso.

(Claudete Campos)