Francês ‘abrasileirado’

boa comida Da Italianas Crepes e Massas, crepe de caponata (com berinjela) Fotos: Amanda Vieira /JP)

 

O crepe, do francês ‘crêpe’, originário da Bretanha, região noroeste da França, é um tipo de panqueca feito à base de farinha de trigo, leite e ovos. A receita possui massa bem fina e geralmente acompanha recheio que pode ser doce ou salgado. A palavra vem do latim “crispus”, que significa “crespo; ondulado”, uma referência propícia à textura da massa após frita em frigideira ou chapa de metal, sempre untadas com manteiga.

No final do século 18, o crepe era tido como “um tipo de massa muito conhecida nas terras celtas”. O trigo branco, comum nos dias de hoje, era reservado aos ricos proprietários de terras. Já no século 19, novas técnicas de plantio e moagem foram responsáveis pelo aumento vertiginoso da sua produção, abastecendo os mercados tradicionais na Europa. Com isso, as creperias se espalharam por toda a França e o crepe se tornou popular. Atualmente, é um dos símbolos da culinária francesa, e, com o passar do tempo, novos ingredientes passaram a acompanhar os crepes, doces ou salgados, simples ou sofisticados, em diferentes localidades.

Entre os franceses prevalece o hábito de que cada convidado deve preparar seu próprio crepe, formulando um desejo antes de jogar o crepe para o ar. Se cair aberto e do lado certo, o desejo será imediatamente atendido. Caso contrário, só poderá voltar a ser formulado no inverno seguinte. Essa é uma forma de garantir vida longa e próspera para o anfitrião.

O prato, sobretudo rural, alçou voo para as mesas mais sofisticadas, preparadas com produtos exóticos e raros. São servidos de todas as formas: salgados ou doces; simples ou recheados; abertos, enrolados ou empilhados; como sobremesa ou entrada. Nos recheios, os crepes mantêm, desde a idade média, a mesma forma simples e rápida de preparação. Basta juntar ovo, farinha e leite.

Em Piracicaba, é possível degustar esta iguaria em distintos estabelecimentos gastronômicos. O proprietário do Dr. Crepe, o engenheiro agrônomo Marcelo de Campos, contou que aprendeu a receita do crepe com um chef de Campinas e veio, ao longo de doze anos, aprimorando a receita original até chegar a uma massa, como ele mesmo diz, ‘fininha’ e que não quebra. “A massa básica do crepe é composta basicamente de leite, farinha de trigo, manteiga, ovo e sal. O diferencial é o recheio, ele transforma a massa simples em uma receita requintada”, explicou.

No cardápio do restaurante constam mais de 40 recheios de crepe, entre doces e salgados. De acordo com Campos, as variações de recheio são pensadas de maneira a agradar o paladar dos clientes. “Apesar de francês, o nosso recheio é abrasileirado. Fizemos adequações ao paladar do nosso povo”, explicou.

O crepe recheado com o salgadinho de tortilla Doritos e queijo tipo cheddar derretido é uma opção que agrada principalmente o paladar dos adolescentes, segundo Campos. “A combinação desses dois ingredientes resultam em um crepe crocante e saboroso”, explicou o proprietário do Dr. Crepe, acrescentando que outro sabor de recheio salgado é o de lombo canadense com cream cheese.

Ele comentou, ainda, que o crepe responsável por 50% das vendas em seu estabelecimento é o que vem acompanhado de Nutella e morangos. “O creme de avelã harmoniza com o morango, que é cítrico”, afirmou.

Paçoca com doce de leite também está no menu de recheios. Após concluído o preparo da massa, o prato vem acompanhado de uma porção generosa de doce de leite com paçoca triturada.

Quem também oferece diversas opções de crepes são as sócias Adriana Badioli e Denise Raseira Marchini, que juntas administram o Italianas Crepes e Massas. Elas contaram que a casa existe há dois anos e meio na cidade e é especializada em crepe francês.

Adriana revela que a massa do crepe assemelha-se muito com a da panqueca. “São praticamente iguais, porém, a do crepe é mais líquida, mais fininha e crocante, parecida com um bijout”, detalhou a chef. Ela acrescenta que a massa é sempre preparada na hora, de frente para o cliente e que esse é o maior diferencial da receita, que ela aprendeu há nove anos.

Uma das opções de recheios ofertadas pelo Italianas é o caponata, constituído de berinjela preparada no forno com tomate, cebola, uva passas e temperada com vinagre balsâmico e azeite. No crepe, o recheio vai por cima de uma fatia de muçarela.

O tomate seco, o cream cheese e a rúcula formaram recentemente um trio de recheio no Italianas. “Estamos sempre inventando algo diferente. Pensamos que seria legal uma opção mais saudável, mais leve e suave”, salientou Adriana.

O local oferece também opções de recheios doces. Dentre elas uma combinação de banana com uma mistura de açúcar e canela que, de acordo com a proprietária, se complementam e resultam em um crepe “que agrada todos os paladares”.

SERVIÇO — Dr. Crepe (avenida Saldanha Marinho, 1636). Informações: (19) 99608-8007. Italianas Crepes e Massas (rua das Pombas, 65, Jardim Monumento). Informações: (19) 98102-8430.

(Raquel Soares)