Fumdeca repassa mais de R$ 2,4 milhões a 16 entidades

Os termos de parceria foram assinados nessa sexta-feira (Crédito: Claudinho Coradini/JP)

Neste ano, 26 projetos sociais, de 16 entidades assistenciais de Piracicaba, contam com R$ 2.406.606,72 para beneficiar mais de 2.000 pessoas, por meio de repasse do Fumdeca (Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente). Os termos de parceria foram assinados ontem (15), pelo prefeito Barjas Negri (PSDB), pela titular da Smads (Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social) e demais representantes das entidades. “O Fundo foi criado em 2008 e no início foi difícil fazer a conscientização às doações, mas a cada há uma sensibilidade maior. A Receita Federal faz um trabalho importante, mas nós temos que nos conscientizar”, destacou o prefeito.

Em 2018, o Fumdeca repassou R$ 2.054.250,75 para 18 projetos sociais de 12 entidades da cidade, beneficiando mais de 1.550 pessoas. Os recursos são oriundos de destinações do IR (Imposto de Renda). “Quando a pessoa física ou jurídica contribui com o Fumdeca, deixando parte do imposto de renda devido no município, ela tem certeza de que seu imposto está sendo investido nas crianças e adolescentes que se encontram em vulnerabilidade em Piracicaba”, ressaltou a secretária da Smads.

Os recursos são administrados pelo CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), responsável pela aprovação dos projetos. Neste ano, o recurso foi destinado por 520 pessoas, entre físicas e jurídicas. “Obrigado às entidades por aumentarem o nível dos projetos, a quem destinou as doações ao município”, enfatizou Roger Nascimento, presidente do CMDCA. “A Casa do Hip Hop tem mais de 16 anos e esse é o primeiro ano que está inscrita no Conselho (CMDCA. A maioria da população que a gente trabalha é criança e adolescente”, afirmou Ubirajara de Barros Sabino, o Bira, coordenador da Casa do Hip Hop.

Entre as entidades beneficiadas, destacam-se Gaia +, Casa do Bom Menino, Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), Avistar (Associação de Atendimento à Pessoas com Deficiência Visual), Casa do Amor Fraterno, entre outras. “Vamos trabalhar o projeto Criança Feliz, com oficinas de teatro, dança, atividades lúdicas, com mais de 200 crianças e adolescentes de 5 a 18 anos, ressaltaram os presidente e vice da Casa do Amor Fraterno, Elenice eRafael D’Abronzo.

(Eliana Teixeira)