Funcionários dos Correios suspendem paralisação até dia 2

Greve foi iniciada após o anúncio da estatal em cortar benefícios, entre eles o vale-alimentação (foto: Claudinho Coradini/JP)

Em assembleia realizada na noite de ontem, os funcionários dos Correios decidiram suspender a paralisação iniciada há uma semana e retomam ao trabalho hoje. A decisão da categoria atende a orientação do TST (Tribunal Superior do Trabalho) de retomar as atividades com a garantia da manutenção dos benefícios até o dia 2 de outubro.

A assembleia de ontem foi precedida por um ato defesa dos Correios que reuniu os trabalhadores no Centro de Campinas até a sede do Sintect/Cas (Sindicato dos Trabalhadores em Correios, Telégrafos e Similares) de Campinas. De acordo com o diretor sindical Anderson Tognoni, houve um recuo do movimento em função do direcionamento do TST. “Na realidade houve um recuo em nível nacional, não conseguimos manter a greve devido a um acordo com Tribunal Superior do Trabalho que propôs que recuássemos da greve e os direitos seriam mantidos pelos próximos 20 dias, quando ocorre o julgamento do acordo coletivo”, afirmou.

A decisão dos trabalhadores da ECT (Empresa de Correios e Telégrafos) em paralisar as atividades em todo o país foi tomada após o anúncio da decisão da estatal de cortar benefícios conseguidos em acordos coletivos anteriores, entre eles o vale-alimentação. A empresa justifica o corte como maneira de manter a sustentabilidade e alega um prejuízo de R$ 3 bilhões. Em Piracicaba, de acordo com o último levantamento do sindicato da categoria, o setor de distribuição estava paralisado em 85%.

Em nota a assessoria de imprensa da ECT informou que a empresa reitera que o retorno de todos os empregados é condição essencial para aceitar a proposta do TST, que fixou, por meio de decisão liminar, o contingente mínimo de 70% do efetivo durante a greve, com multa diária de R$50 mil, caso o percentual não seja atendido.

Beto Silva
[email protected]