Furão: o novo pet dos brasileiros

Recado aos amantes desde pet: eles são "espoletas", ou seja, gostam muito de brincar (Foto: Freepik) Recado aos amantes desde pet: eles são “espoletas”, ou seja, gostam muito de brincar (Foto: Freepik)

Quando se fala em pets, os primeiros bichos que vêm à cabeça são cachorros e gatos, mas uma espécie tem ganhado destaque como animal doméstico em diversos países, e inclusive no Brasil: o furão.

Mamífero carnívoro da família dos mustelídeos, o furão (ou “ferret”) já é incluído na categoria NAC (Novos Animais de Companhia) nos Estados Unidos e França, devido à quantidade desses pets que ocupam os lares nesses países.

Eles são fofos, engraçados, e cheios de energia, mas são necessários cuidados para manter a saúde do animalzinho diferente. De acordo com Thiago Vilalta, veterinário da Clínica Exotic Pet Center, especializada em animais silvestres e exóticos, a casa deve ser adaptada para receber o furão. “Eles podem ser mantidos em casa, porém ralos, vasos sanitários, canos de esgoto e chuva devem ser bem vedados, visto que adoram entrar em qualquer buraco, são extremamente curiosos”, aconselha.

O veterinário afirma que a expetativa de vida desses animais vai de cinco a oito anos e a maioria deles, no Brasil, são importados e já vem castrados do exterior, já que a espécie adotada como pet é originária da América do Norte. “Existe uma espécie brasileira, o furão pequeno, de nome científico Galictis cuja. Eles possuem comportamento bem parecido com o de seus primos americanos, porém esses não podem ser comercializados e nem mantidos em casa, o que é considerado crime ambiental, já que saem da fauna brasileira. Existe um grupo bem simpático, residente no nosso Zoo de Piracicaba”, diz.

Quanto às brincadeiras, essas estão garantidas. Espoletas e animados, os furões gostam de uma farra – o que pode significar muitas artes também, portanto o dono deve estar preparado para assumir os prejuízos. “O furão deve ter opções de atividades para se divertir, e tubos ou bolas com guizos e penas fazem parte da sua lista de brinquedos preferidos. Outro ponto é que o ferret adora é pegar ‘coisas perdidas’ pela casa e levar para o seu cantinho. Amam dormir em redes suspensas e também adoram se divertir na água”, Vilalta dá as dicas. Para garantir ainda maior gasto de energia, os furões podem sair para passear na coleira, que deve ser do tipo peitoral, específica para a espécie ou daquelas utilizadas em gatos e cachorros.

Na alimentação, nada de frutas e legumes. “O furão é um animal carnívoro. Precisam de uma dieta com alta percentagem de proteína e gordura. Não devem ser alimentados com frutas, vegetais ou cereais. Existe uma grande variedade de comidas para furões, comercializadas em lojas de animais de estimação”, explica o veterinário.

Outra coisa para se preocupar é um odor típico da espécie, mas que Thiago garante que pode ser amenizado com os cuidados certos. “Quanto ao cheiro, eles possuem um odor característico, mas uma boa higiene já garante que o cheiro não fique tão forte. O corte de unhas deve ser feitos por um profissional capacitado, assim como os cuidados veterinários, que devem ser feitos por um médico especialista”, orienta.

Mariana Requena