Furto de água

Dai a importância de os responsáveis apurarem rigorosamente os casos. E, claro, punir os responsáveis. Esta é até mesmo uma forma de desestimular essas fraudes.

Até julho deste no, o Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) abriu 1.398 processos para averiguar furtos de água. Isso mesmo. E desse total, 40 casos foram penalizados e 76 arquivados. Os demais estão sendo investigados. Esses números foram passados ao Jornal de Piracicaba ontem, após realização de curso destinado aos funcionários do Semae e da terceirizada Águas do Mirante para caçar fraudes. Esse curso foi oferecido ontem pela Associação Hydrus, parceira da administração desde o ano passado. É o que mostra reportagem de Fernanda Moraes, publicada nesta edição.

Os profissionais técnicos foram capacitados para diagnosticarem as fraudes e, assim, dar o encaminhamento necessário para cada caso. De fato, a autarquia e a terceirizada precisam fechar o cerco aos consumidores que fraudam. Isso porque, quando um consumidor não paga sua conta de consumo, o sistema todo é penalizado. Além do que o gasto para tratar a água – como produtos químicos, mão de obra, energia – pode ser rateado entre os demais usuários. Dai a importância de os responsáveis apurarem rigorosamente os casos. E, claro, punir os responsáveis. Esta é até mesmo uma forma de desestimular essas fraudes.

(Claudete Campos)