Gaia+ está entre as 100 melhores Ongs do país

ong Instituições passaram por avaliação de transparência e gestão. ( Foto: Divulgação)

Estar entre as 100 melhores Ongs (Organizações Não-Governamentais) do Brasil, após seleção de mais de 2.500 instituições, é motivo de orgulho para a Gaia+, fundada em Piracicaba há quatro anos pelo Gaia, grupo empresarial de São Paulo ligado ao mercado financeiro. O prêmio Melhores ONGs, realizado pelo Instituto Doar, concede um selo para as 100 selecionadas, além de um guia para incentivar a comunidade a doar mais e melhor em todo o País. As 100 instituições passaram pela seleção de um roteiro para verificação das condições de transparência e gestão nas organizações. A ONG Gaia + atende atualmente 74 crianças de 6 a 11 anos de idade, selecionadas pelo critério de vulnerabilidade social. “Ficar entre as 100 melhores foi uma surpresa para nós. Nossa intenção é ajudar crianças, no contraturno escolar, com apoio na escrita, matemática, português, mas também oferecer atividades lúdicas, dentro dos 10 valores trabalhados pela ONG”, explica Naira Pacífico, diretora da ONG Gaia+.

Entre os 10 valores trabalhados, há o estímulo da prática da gratidão, de se viver com garra, da comunicação sincera e honesta, da celebração. Segundo a diretora da Gaia+, esses valores são trabalhados o ano todo, diariamente. “Em 20 dias de frequência da criança, já conseguimos notar as transformações no comportamento, pelos depoimentos dos pais. O que as crianças aprendem na Ong, elas levam para casa, passam a ajudar as mães nas tarefas, praticam a gratidão”

Além das oficinas que estimulam a aprendizagem, as crianças praticam a meditação. Naira ressalta que a técnica é utilizada para que as crianças aprendam a respirar, a acalmar-se. As crianças atendidas são estudantes do 1º ao 5º ano do fundamental e podem frequentar a entidade durante o período que cursarem essa etapa do ensino. Para atender as 74 crianças, que são dos bairros Bosques do Lenheiro e Mario Dedini, a Gaia+ conta com dois educadores físicos, duas pedagogas, uma ecóloga, uma advogada e dois artistas plásticos contratados.

(Eliana Teixeira)