Governador quer celeridade na indenização aos familiares das vítimas do massacre de Suzano

Massacre - Suzano Mortes dos alunos ocorreu em escola estadual de Suzano (Crédito: Rovena Rosa/Agência-Brasil)

Depois do massacre da escola de Suzano, que chocou o País na manhã dessa quarta-feira (13), o governador João Doria (PSDB) criou um comitê executivo formado pela Procuradoria Geral do Estado de São Paulo, pelas secretarias da Educação, Segurança Pública e Assistência Social, além de membros da Defensoria Pública como convidados, para garantir celeridade no processo de pagamento de indenização aos familiares das vítimas.

O atentado ocorrido na Escola Professor Raul Brasil, que fica em Suzano na Grande São Paulo, resultou em 10 mortes e 11 feridos. O decreto, que será publicado na edição do Diário Oficial de hoje, prevê que o grupo determine, no prazo máximo de 30 dias, os valores que serão pagos pelo Governo do Estado aos familiares das vítimas. Para cada família, o valor da indenização poderá ser de aproximadamente R$ 100 mil.

Doria ressalta que nenhuma ação do Governo poderá compensar as vidas que foram perdidas. “Mas em um momento de tamanha dor e tristeza, é fundamental que essas famílias não enfrentem burocracia e processos lentos para terem acesso aos recursos. É hora de solidariedade e atitude”, argumenta.

 

SEGURANÇA

A Secretaria da Educação do Estado informa que os procedimentos de segurança em todas as 5,3 mil escolas serão revisados e está em estudo um projeto para reforço à segurança nas unidades mais vulneráveis. As aulas em todas escolas públicas estaduais e municipais de Suzano estão suspensas até hoje.

Na segunda-feira (18), a escola será reaberta apenas para professores e funcionários. Serão desenvolvidas atividades como acolhimento, preparação e apoio psicológico com apoio do Instituto de Psicologia da USP, técnicos da Secretaria da Educação, entre outros profissionais e especialistas. A reabertura da escola será na terça-feira (19), com atividades livres, oficinas, apoio psicológico, rodas de conversa, depoimentos, compartilhamento de boas práticas. As atividades terão apoio de equipes de especialistas das secretarias estadual e municipal de Educação, equipes técnicas da Prefeitura de Suzano e do Instituto de Psicologia da USP (Universidade de São Paulo), Capes  (Centros de Atenção Psicossocial), entre outras instituições que também farão parte do grupo de apoio.

(Eliana Teixeira)