Governo autoriza licitação para transporte intermunicipal

O governo do Estado publicou decreto autorizando a primeira concessão internacional do Transporte Intermunicipal de Passageiros do Estado de São Paulo. A licitação prevê R$ 2,6 bilhões em investimentos no Sistema que atende mais de 300 mil passageiros diariamente. Todo o sistema que engloba viagens feitas entre os 645 municípios paulistas será reformulado e modernizado. “Serão licitados cinco lotes pelo prazo de 15 anos no leilão marcado para o dia 15 março. O critério de seleção será pela maior oferta de outorga e o projeto elaborado pela Artesp estima taxa interna de retorno de 9,88%”, informou Nelson Raposo Mello Jr, diretor de Procedimento e Logística da Artesp.
 
A concessão divide o Estado em cinco áreas de operação que têm ligações distintas e não competem entre si. Cada licitante poderá apresentar proposta, isoladamente ou em consórcio de empresas, para mais de um dos cinco lotes. Estão sendo licitadas todas as linhas suburbanas e rodoviárias com garantia de que todas as ligações atuais serão mantidas. “Estamos reformulando totalmente o Sistema, agrupando as linhas em apenas cinco lotes buscamos dar viabilidade econômico-financeira para que os consórcios tenham condições de atender aos padrões de qualidade que estamos exigindo para todas as linhas”, comenta Nelson. 
 
Dos cinco lotes, Piracicaba está na Área de Operação 2, composta por seis polos e 48 municípios. Os polos são Botucatu, com sete cidades, Jaú (12), Pirassununga (6), Rio Claro (6), São Carlos (6) e Piracicaba, com 11 cidades, sendo Águas de São Pedro, Charqueada, Iracemápolis, Laranjal Paulista, Limeira, Mombuca, Rio das Pedras, Saltinho, Santa Maria da Serra e São Pedro. O total de investimento previsto é de R$ 308,22 milhões com outorga mínima de R$ 3,84 milhões. “Hoje temos 100 empresas e algumas delas têm permissão há mais de 30 anos. Com esta iniciativa os ônibus serão mais novos, terão internet gratuita e ar condicionado. Nos terminais, o atendimento será automatizado além da oferta da bilhetagem eletrônica”, disse Nelson.