Greve de autoridade ferroviária francesa causa transtornos e desafia Macron

A greve da Société Nationale des Chemins de fer Français (SNCF), a autoridade ferroviária francesa, causa transtornos nesta terça-feira e representa o maior teste para a estratégia econômica do presidente Emmanuel Macron.

De acordo com a SNCF, apenas 12% dos trens estão circulando hoje, na primeira de uma série de greves projetadas para durarem três meses. Nas linhas Eurostar com destino ao Reino Unido e nas locomotivas para a Alemanha o tráfego também está alterado.

Há ainda problemas nas vias aéreas, com a Air France cancelando um quarto dos voos em meio a uma greve por melhores salários.

A greve força os passageiros a desistir das ferrovias e pegar caronas em ruas congestionadas. Na estação Gare de Lyon, as plataformas estavam tão lotadas, que os passageiros chegaram a ficar nos trilhos enquanto esperavam pelos trens.

Esta terça-feira é um dos piores dias de conflitos na França desde que Mácron foi eleito. Ele fez da reforma econômica a base fundamental de sua presidência. Muitos de seus planos, particularmente os voltados ao mercado de trabalho, encontram forte oposição, principalmente dos sindicatos franceses.

Os trabalhadores das ferrovias protestam contra planos de eliminar um status especial que eles têm há décadas que garante empregos vitalícios e outros benefícios.

O governo de Macron afirma que não é mais possível manter esse modelo, pois a economia globalizada e automatizada favorece forças de trabalho mais flexíveis. Fonte: Associated Press.