Grupo faz marcha contra imposto sindical na segunda

O Movimento Luto pela Educação, de Piracicaba, realiza na próxima segunda-feira (26) uma marcha contra a decisão do TRT-15 (Tribunal Regional do Trabalho) da 15ª Região, em Campinas, que determinou a obrigatoriedade do desconto da contribuição sindical dos servidores municipais celetistas e estatutários da prefeitura, Câmara e autarquias. Ainda cabe recurso. O grupo se concentrará às 18h na Praça José Bonifácio, no Centro, e seguirá em direção à assembleia do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Piracicaba, onde o órgão sindical discutirá a proposta de reajuste salarial da prefeitura. 
 
De acordo com a coordenadora do Luto pela Educação, Vanessa Pupo, a marcha servirá para mostrar que o grupo, formado por professores, se opõem à decisão. Eles também pretendem recorrer ao Ministério Público do Trabalho. “Nós faremos isso, por hora, para mostrar que não iremos pagar, porque a gente ainda acha que a lei federal se sobrepõe. Amanhã (hoje) nós iremos ao Ministério do Trabalho para ver qual possibilidade a gente tem de tentar, de alguma maneira, não pagar, porque ainda tem como reverter”, afirmou Vanessa. 
 
A merendeira e servidora municipal Salvina das Dores Nunes Coelho Esteves, 48, é filiada ao sindicato. Porém, acredita que o órgão não está defendendo os interesses do trabalhador. “Com o sindicato eu contribuo mensalmente, sou sócia, mas esse imposto sindical eu não quero. Ao invés de nos ajudar, o sindicato quer derrubar a única coisa boa da Reforma Trabalhista”, disse Salvina. 
 
O presidente do Sindicato dos Municipais, José Valdir Sgrigneiro, afirmou que não pretende abordar o assunto durante a assembleia. “O objetivo é analisar a proposta da Administração de reajuste salarial. Não vamos nem falar sobre isso (imposto sindical), que foi decisão do TRT de Campinas. Quem está enviando a comunicação do desconto é a prefeitura, não é nem a gente”, afirmou o presidente. “É direito do trabalhador, mas nós oferecemos tantos serviços para os servidores que, caso não consiga essa arrecadação, muitos dos serviços teriam que ser extintos. Não tem como manter”, afirmou. 
 
A Prefeitura de Piracicaba confirmou ontem que já está notificando os funcionários sobre a decisão do TRT. O valor descontado corresponde a um dia de trabalho do servidor. O JP questionou a prefeitura para saber se pretende recorrer da decisão, mas não houve resposta.