Guarda Civil que sobreviveu a 15 tiros é homenageado

Guarda Civil William Cândido de Lima recebeu honraria. Crédito: (Divulgação)

O guarda civil William Cândido de Lima, que sobreviveu a 15 tiros após sofrer uma emboscada de assaltantes, em 2002, foi homenageado pela ABFIP (Associação Brasileira das Forças Internacionais de Paz) da ONU (Organização das Nações Unidas), por meio de uma solenidade de Outorga de Condecorações à Personalidades, Civis, Militares e Eclesiásticas, na quarta-feira (4), na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo). A homenagem se refere às autoridades civis e militares que fazem a diferença na vida da sociedade brasileira, que possuem status heroicos e de riscos.

Lima, que atualmente é diretor administrativo do SindGuarda (Sindicato dos Servidores Guarda de Piracicaba) e coordenador operacional da Anjos Ceifadores, uma empresa de treinamento técnico operacional para Guardas Civis Municipais foi um dos homenageados.

A honraria foi presidida pelo deputado estadual Paulo Adriano Telhada, o Coronel Telhada (PSDB) e o presidente da ABFIT, Walter Mello de Vargas.
A homenagem foi realizada pelo “ato de bravura” no desempenho de Lima, na corporação municipal. No dia 28 de novembro de 2002, Lima com seu parceiro, o GC José Romário de Oliveira França auxiliavam em um transporte de valores próximo ao Terminal Central Integração, quando sofreram emboscada pelos assaltantes que fizeram disparos com armas de calibre nove milímetros, ponto 40 e calibre 12. Lima foi atingido com três tiros na cabeça, outros na perna braços e teve o pulmão perfurado. Seu parceiro, que também foi atingido pela mesma quantidade de tiros, não resistiu. “Senti-me muito honrado com a homenagem e para mim foi uma grande surpresa”, disse Lima.
Segundo o Cônsul da ONU, Ernesto Guerra, o ato não se trata de uma simples homenagem, mas uma condecoração da ABFIT,“Conheço toda a trajetória profissional de William Delima e justamente por isso, fiz questão que ele recebesse esta medalha reconhecida pelas forças militares”, afirmou Guerra.

 

Cristiani Azanha
[email protected]