HB20 Motorsport será o novo modelo produzido em Piracicaba

carro Modelo esportivo foi apresentado à imprensa. ( Foto: Divulgação)

A montadora sul coreana Hyundai, com sede em Piracicaba, é uma das participantes da 30ª edição do Salão Internacional do automóvel, realizado em São Paulo. Durante o evento – que vai até o próximo domingo (18) -, a multinacional apresentou novidades na produção, entre elas elétrico Ioniq, o Creta Diamond – uma nova versão do SUV fabricado em Piracicaba e o HB20 Motorsport, que traz o hatch conhecido dos brasileiros em uma versão adaptada para um campeonato em que os participantes competem pilotando o hatch compacto com motor 1.6 e transmissão manual de seis velocidades.

Das novidades apresentadas pela coreana, apenas o HB20 Motorsport será produzido na planta em Piracicaba, segundo informou o gerente de relações públicas da montadora, Mauricio Jordão. “No salão a gente apresenta. Aproveitamos para mostrar as possibilidades híbridas, elétricas, o Creta Diamon. Os modelos são de demonstração, têm itens que podem impressionar consumidor. Vamos ver como os visitantes reagem a essas novidades”, explicou.

Uma das justificativas para que os modelos anunciados não sejam fabricados no Brasil, segundo Jordão, é a indefinição quanto ao regime automotivo do país, denominado de Rota 2030, que deverá ditar as regras do setor para a próxima década. Haverá, por exemplo, a redução do IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados) para veículos híbridos e elétricos. “Com a recuperação do mercado, o novo regime automotivo, teve discussão política mas o projeto não andou. Havia uma expectativa do setor que isso fosse promulgado aqui no salão e aparentemente não vai ser. Hoje operamos sem um regime, você não sabe se tem isenção se trouxer um carro elétrico, não sabe se vai ter incentivo se trouxer uma máquina nova ou se empregar mais gente. Essas coisas precisam ser definidas para os próximos cinco dez anos para que se pense em ampliação da fábrica. Enquanto isso não acontece, ficamos observando a situação da fábrica em piracicaba está equilibrada, estável, trabalha com mais de 90% da capacidade”, afirmou.

“O que acontece com Hyundai é que a gente vai crescer dez mil unidades, vai crescer pouco, mas a gente prefere ter a indicação de que é perfeitamente viável aumentar a fábrica, contratar mais gente aumentar a produção e seguir, do que fazer isso e ter outro problema que é ficar com o pátio cheio, não vender”, acrescentou Jordão destacando que montadora vai fechar o ano com 190 mil unidades produzidas.

A Hyundai entrou em operação em Piracicaba em 2012 com produção de 150 mil veículos ano. No ano seguinte, em 2013, aumentou para 180 mil unidades/ano e implantou o terceiro turno. Mesmo nos momentos mais agudos da crise, manteve a produção na casa de, no mínimo, 90% da capacidade, não eliminou o terceiro turno e não demitiu. Em 2016, por exemplo, foi a única montadora do Brasil a operar com três turnos. As outras, além de eliminarem o terceiro turno, chegaram a operar com 30% da capacidade.

(Beto Silva)