Helen Mirren, vítima da maldição das almas (e armas)

A Maldição da Casa Winchester / Winchester
(EUA/Austrália, 2018, 100 min.)Dir. de Michael Spierig, Peter Spierig, com Helen Mirren, Jason Clarke.

Depois do Oscar, que recebeu por A Rainha, Helen Mirren virou uma estrela rentável para Hollywood. Não cobra exageradamente, faz bem qualquer tipo de papel. Humor, espionagem, ação, Helen tem feito de tudo. Faltava o terror. Você leu direito – faltava. A Maldição da Casa Winchester, dos irmãos Michael e Peter Spierig, destaca-se da pasmaceira da produção de gênero de Hollywood por se basear numa história supostamente real.

Helen faz a herdeira de uma empresa de armas de fogo. O império paterno era tão grande que o levou a construir uma casa imensa, com quartos suficientes para abrigar um batalhão. A Mansão Winchester existe e reza a lenda que passou a ser habitada pelas almas das vítimas das armas de fogo que fizeram a fortuna familiar. Na ficção, Helen fica meio doida após as mortes do marido e do filho. Surge um psiquiatra, interpretado por Jason Clarke, para avaliar o estado dela. Além da possível qualidade da interpretação, o filme tem o timing certo. Após a nova chacina na Flórida, o controle de armas divide, de novo, a América.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.