História da mitologia grega é tema de festival de dança no Engenho

eros Espetáculo envolve 70 bailarinos em diversas modalidades de dança. (Foto: Alessandro Maschio)

Da mitologia grega, a história de Eros e Psique ganha vida hoje e amanhã, às 20h30, no Teatro do Engenho, durante a realização da 16ª edição do Festival de Dança do Espaço Ventre Vida. Com direção de Fernanda Marina Everaldo, o espetáculo é constituído por 18 coreografias assinadas pelas professoras Thais Crivello e Heloisa Groppo e apresentadas por 70 bailarinos (homens e mulheres), com narração da contadora de histórias Carmelina de Toledo Piza. As sessões têm apoio cultural do Jornal de Piracicaba e da Revista Arraso.

Com o cartão do Clube JP, o ingresso pode ser adquirido com 50% de desconto. A história de Eros e Psique trata, basicamente, do amor entre um deus e uma mortal. Psique é uma linda
e jovem princesa que foi capaz de provocar a inveja de Afrodite. Enfurecida, a deusa da beleza ordena que seu filho Eros, deus do amor, faça alguma coisa para restabelecer a normalidade.

Eros, no cumprimento de ordens superiores, vê-se ferido por uma de suas flechas e, consequentemente, apaixonado pela bela mortal. Diante desse drama, Eros se depara com um difícil questionamento: continuar no Olimpo ou viver com sua amada?

De acordo com a diretora do Espaço Ventre Vida, a coreógrafa e professora Fernanda Marina Everaldo, o espetáculo convida o público a conhecer uma história na qual são testados os sentimentos e os limites humanos em busca do verdadeiro amor. “Embora muito antiga, a história cabe bem na atualidade, pois retrata com fidelidade o empoderamento feminino. Por isso me encantei por ela”, comentou a profissional, acrescentando que as coreografias são ensaiadas durante o primeiro semestre do ano. “O festival é uma forma de incentivar cada vez mais as bailarinas na continuidade da dança, para que não se perca a identidade cultural”, afirmou.

Executam os movimentos coreográficos alunos da escola de variadas idades e de diferentes modalidades de dança, tais como dança do ventre, tribal fusion, balé clássico, body balé fit e jazz. Fernanda ressalta que o festival tem por objetivo transmitir ao público a essência da história, do princípio feminino e das lições de coragem e outros sentimentos que fazem parte da montagem. “Esperamos que o público goste e se sensibilize com a história”, declarou.

ESCOLA – O Espaço Ventre Vida exerce atividades há 14 anos e tem como principal objetivo ensinar dança do ventre. Além disso, trabalha com balé, dança livre e jazz.

SERVIÇO— 16º Festival de Dança do Espaço Ventre Vida. Hoje e amanhã, às 20h30, no Teatro do Engenho (avenida Maurice Allain, 454, Engenho Central). Ingressos podem ser adquiridos
na bilheteria do teatro, das 16h até o início do espetáculo, ao preço de R$ 35 (antecipado) e R$ 70 (na hora). Evento com apoio cultural do JP e Arraso. Informações: (19) 3413-8526.

(Raquel Soares)