Homem de 25 anos morre após confronto com a PM

Um homem flagrado com um carro roubado morreu após se envolver em um confronto com a Polícia Militar, na madrugada de anteontem, no bairro Algodoal. Segundo o boletim de ocorrência, depois do acompanhamento com a PM, ele teria descido do veículo com uma arma em punho. Os policiais revidaram e ele foi baleado no tórax. O acusado morreu no local. Como não portava documentos, só foi possível identificação na tarde de ontem. Adriano Rodrigues, 25, teria participado de pelo menos cinco furtos em estabelecimentos da cidade com a ‘Gangue da Marcha à Ré’.
 
De acordo com a PM, por volta das 2h30 da madrugada, a corporação foi avisada de que um Gol branco com queixa de roubo tinha acabado de passar por um radar inteligente da avenida Armando de Salles Oliveira. Várias equipes se posicionaram em pontos estratégicos da cidade. O suspeito foi localizado no cruzamento da Ponte do Caixão com a avenida Cristóvão Colombo.
 
Assim que percebeu a aproximação dos policiais, o suspeito acelerou e não obedeceu a ordem de parada. Depois de um breve acompanhamento, o acusado teria descido do carro com uma arma na mão e disparou uma vez contra os policiais, que revidaram.
 
O suspeito foi atingido no tórax e já caiu desacordado. De acordo com o boletim de ocorrência, os policiais militares não tiveram condições de informar naquele momento quem teria atingido o suspeito. As armas utilizadas pelos policiais — três pistolas ponto 40 e uma submetralhadora —, além de um revólver, que teria sido usado pelo acusado, foram apreendidas, bem como três cartuchos deflagrados e outros 58 intactos serão periciados pelo IC (Instituto de Criminalística).
 
Segundo a PM, o carro usado pelo suspeito tinha sido roubado no mesmo dia, na região central de Piracicaba. O veículo foi encaminhado ao pátio da Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito).
 
O corpo do homem foi levado ao IML (Instituto Médico Legal), onde será realizado o exame necroscópico. Ele tinha tatuagens no abdômen, nos braços e nas mãos. Também utilizava uma aliança e corrente dourada. O boletim de ocorrência sobre o caso foi registrado no Plantão Policial como desobediência, resistência, disparo de arma de fogo, receptação e homicídio em decorrência de intervenção policial.
 
Como o suspeito não portava documentos, o delegado Gillys Esquitini Scrocca determinou que fosse realizado exame de impressão digital para confirmar sua identidade do homem. A investigação sobre o ocorrido foi realizada pelos policiais civis do 4º Distrito Policial.