Homem é assassinado a facadas no Novo Horizonte

crime Vítima foi socorrida pelo Samu à UPA da Vila Cristina, mas não resistiu. ( Foto: Claudinho Coradini/JP)

O ajudante geral Douglas Henrique de Souza, 29, foi assassinado com golpes de faca próximo à sua residência, no bairro Novo Horizonte, anteontem à noite. O principal suspeito, segundo a polícia, é um carregador de 34 anos, que é ex-amásio da atual companheira da vítima. Souza chegou a ser socorrido pelos atendentes do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) “Frei Sigrist”, na Vila Cristina, mas não resistiu.

Por volta das 22h30, a Guarda Civil foi acionada para acompanhar os socorristas do Samu, que atendiam o caso de um homem que tinha sido esfaqueado. No local, os patrulheiros constataram que a vítima tinha sido atingida por várias facadas no tórax, braços, pernas e pescoço. A vítima chegou a receber os primeiros atendimentos, mas morreu a caminho da UPA.

Os guardas conseguiram localizar a atual companheira de Souza. Ela teria relatado que o autor do crime, era seu ex-convivente, com quem morou durante um ano e quatro meses, mas estavam separados há mais de dois meses e que o suspeito não aceitava o final de seu relacionamento e passou a perseguir a vítima.

Na mesma noite do crime, o ajudante foi até um bar no bairro para comprar um maço de cigarro e acabou discutindo com o suspeito que estava no mesmo local. Souza foi embora para evitar uma briga com seu “desafeto”. No entanto, minutos depois, o suspeito encontrou com Souza a poucos metros da sua casa. O acusado estava com uma faca, o ajudante correu, mas foi alcançado e golpeado seguidas vezes. A mulher alegou à GC que chegou a deitar-se em cima do corpo do ajudante na tentativa de protegê-lo, mas o suspeito a tirava de cima e continuava com os golpes. Outros moradores também conter o acusado, mas não conseguiram.

A Guarda Civil fez várias buscas no bairro e na casa do suspeito que fica no mesmo bairro, mas ele não foi localizado.

Outra equipe da GC ficou no local do assassinato até o término do trabalho dos peritos do IC (Instituto de Criminalística). Depois o corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) para a realização de exame necroscópico para confirmar a causa da morte. O caso registrado no Plantão Policial como homicídio consumado.

(Cristiani Azanha)