Homem que se passava por policial nas redes sociais é preso

Um homem de 53 anos, acusado de se passar por policial civil, foi preso na manhã de ontem pelos policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais). Segundo os investigadores, ele usava as redes sociais para, com a falsa profissão, conseguir emprego como segurança particular em empresas de Piracicaba e região. Ele foi localizado em sua residência, em Saltinho. Os investigadores apreenderam um revólver calibre 38, 20 munições, carteira funcional da Polícia Civil, colete balístico e camiseta pólo com a brasão da corporação. 
 
A abordagem aconteceu por volta das 8h, após o cumprimento de busca e apreensão na residência do suspeito. “Nossas primeiras informações davam conta que havia um homem que portava arma. Assim que chegamos na casa e fizemos a revista encontraram os objetos”, comentou um dos investigadores que participou da ocorrência.
 
Segundo a Polícia Civil, ainda não há indícios de que o acusado se passava por policial para fazer algum tipo de extorsão. “Não temos informações, pelo menos por enquanto, de eventuais vítimas de golpes com a participação do investigado”, completou o policial.
 
O inquérito policial sobre o assunto será conduzido pelos policiais civis da delegacia especializada de Piracicaba, onde será apurado ainda de que forma o acusado usaria as identificações falsas para conseguir algum tipo de vantagem.
O acusado vai permanecer preso e responder pelas acusações de porte ilegal de arma, falsificação de documento público e uso ilegítimo de uniforme ou distintivo.
 
 
MOEDA FALSA — Durante outra abordagem distinta realizada pela Polícia Militar, um homem foi preso no distrito de Tupi, após ser surpreendido com uma mochila com 37 pinos de cocaína,10 trouxinhas de maconha, 11 pedras de crack, 45 DVDs piratas, além de R$ 200 em notas falsas e R$ 77 em notas verdadeiras. Durante a abordagem, ele teria partido para cima de uma policial, mas acabou sendo contido pela equipe. Em sua residência foram encontrados outra bolsa contendo mais porções de maconha, munições de calibre 28, 38 e 44 e mais notas R$ 250 (falsas). Ele vai responder pelos crimes de tráfico de drogas, porte de munição, uso de moeda falsa e resistência.