Hospital Ilumina: mais uma parceria público-privada que nasce pelo poder da inovação

Com o Hospital Ilumina, Piracicaba dá um passo importante no enfrentamento de um dos mais sérios problemas de saúde pública da atualidade: o câncer. Além dos dois hospitais (HFC, com o Ceon, e Santa Casa, com o Cecan), ambos conveniados SUS e que contam com centros oncológicos de alto padrão para tratamento da doença em sua fase avançada, agora temos uma unidade voltada especialmente ao diagnóstico precoce e à prevenção dessa doença.

As vantagens de prevenir são imensas para toda a sociedade. Porque “além de cortar o mal pela raiz”, evitando sofrimentos aos pacientes e seus familiares, os custos de ações preventivas são muito inferiores. Calcula-se que o diagnóstico precoce de câncer reduz os gastos de tratamento e cura em 17 vezes comparado ao custo do tratamento da doença em fase avançada.

A questão ganha dimensão ainda mais preocupante quando sabemos que no biênio 2018-2019, segundo o Instituto Nacional do Câncer – INCA, estima-se a ocorrência de 600 mil casos novos de câncer para cada ano e que esse volume tende a dobrará até 2050, cujas causas estão relacinadas a fatores internos (20% dos casos) a fatores externos (80% dos casos).

A meta do Hospital Ilumina é inverter o cenário atual, em que apenas 20% dos casos de câncer são diagnosticados precocemente e 80% na fase avançada, com tratamento dispendioso e incerto. Em 5 anos, 80% terão diagnóstico precoce e com cura garantida em 90% dos casos. Para isso foi firmada uma parceria com Secretaria de Saúde que, por meio do Departamento de Atenção Básica, vai dispor de 300 Agentes Comunitários de Saúde (ACS) que atuarão na busca ativa desses pacientes.

O Governo Municipal percebeu a grandeza da proposta da Fundação Ilumina em seu nascedouro. Assim que houve a primeira reunião com a então presidente da Associação Ilumina, Adriana Brasil (dezembro de 2017), o prefeito Barjas Negri passou a trabalhar rapidamente para a doação da área onde foi construído o hospital, que era uma das exigências para a transferência dos recursos do Ministério Público do Trabalho de Campinas (MPT-15), de R$ 27 milhões.

No primeiro semestre de 2018 já estava sendo assinado o termo de doação de um terreno do município de 10 mil metros quadrados, no bairro Altos do Taquaral, com vista privilegiada para a cidade. Logo em seguida, a obra iniciava sua marcha. A Secretaria de Saúde atuou nessa causa em prol do fortalecimento da nossa Rede de Atenção Básica para reduzir o índice de câncer com diagnóstico tardio na cidade, pois sabíamos o quanto o hospital poderia nos ajudar nesse setor, reduzindo, consequentemente, os impactos financeiros futuros decorrente do estágio avançado da doença.

Um aspecto inovador do Hospital Ilumina que merece registro é o fato de ele ter nascido de uma decisão ousada do MPT-15, que direcionou a multa aplicada à empresa anglo-holandesa Shell e o grupo químico alemão BASF, instaladas em Paulínia, em pesquisas sobre o câncer e projetos de prevenção à doença.

Um segundo ponto que chama a atenção é o fato de o Hospital Ilumina ter nascido 100% SUS. Para isso terá que desenvolver um forte relacionamento com a sociedade piracicabana e o setor empresarial da cidade. Tudo demonstra que a Fundação Ilumina está empenhada nessa missão, que exige uma postura criativa e dinâmica por parte dos seus idealizadores. O poder público, por sua vez, estará sempre ao lado, cumprindo seu papel, de estimular esta brilhante iniciativa que muitos benefícios trará para toda a região.