Hospital Ilumina será inaugurado no dia 23 de maio

Hospital Ilumina começou a ser construída em dezembro de 2017 (Foto: Amanda Vieira/JP) Hospital Ilumina começou a ser construída em dezembro de 2017 (Foto: Amanda Vieira/JP)

O Hospital Ilumina de Prevenção e Diagnóstico do Câncer e Piracicaba será inaugurado no próximo dia 23 – seis meses antes do prazo planejado. A cerimônia acontece às 10h com a presença de autoridades e está prevista a participação do vice-presidente da República Hamilton Mourão.

O Hospital vai ampliar a capacidade de atendimentos gratuitos à população piracicabana e da região. “Estamos a caminho de nos tornar um polo de excelência em prevenção do câncer”, afirmou a médica especializada em cirurgia de cabeça e pescoço, Adriana Brasil, idealizadora da Fundação Ilumina.

A unidade, que começou a ser construída em dezembro de 2017, contará com quatro alas, desenvolvidas para prestar assistências médicas relacionadas ao câncer de mama, colo de útero, pele e boca. A inauguração, prevista para o final deste ano, foi antecipada devido ao empenho da Fundação Ilumina, que levou em conta a necessidade da população.

O Hospital Ilumina tem capacidade para realizar 20 mil mamografias, 16,3 mil exames de papanicolau, 10.370 consultas especializadas, 75 mil atendimentos, três mil cirurgias ambulatoriais e 61,2 mil procedimentos especializados por ano.

O local tem três mil metros quadrados de área construída, em um terreno com cerca de 10 mil metros quadrados, doado pelo prefeito Barjas Negri, que também disponibilizou as assessorias da Prefeitura de Piracicaba para a realização de projeto Ilumina.

A capacidade física do Hospital Ilumina e os trabalhos realizados pela Carreta de Prevenção ao Câncer permitem que o auxílio à população seja triplicado”, afirmou Adriana. Toda a assistência prestada aos pacientes oncológicos é feita de forma gratuita.

Os atendimentos já estão sendo feitos de segunda à sexta-feira, na sede do Ilumina, na avenida Independência, 171, das 7h às 19h, para todos os pacientes que estão na fila de espera do SUS (Sistema Único de Saúde) por meio do Rastreamento Ativo Organizado, que realiza procedimentos de diagnóstico, clínicos e cirúrgicos.

A verba indenizatória no valor de R$ 28 milhões repassada o Tribunal Regional do Trabalho de Campinas e o Ministério Público do Trabalho viabilizou as obras do hospital, que também contou com o apoio do Hospital do Câncer de Barretos e em parceria com a Secretaria de Saúde de Piracicaba.

Parte do valor foi destinada à compra da Carreta, Unidade Móvel de Diagnóstico da Fundação, em funcionamento desde outubro de 2018, que foi inspirada no modelo de Rastreamento Ativo Organizado praticado pelo Hospital de Câncer de Barretos.

Beto Silva